Inadimplência com cheque cresce 62%

0
2


Estudo da Equifax, empresa fornecedora de soluções para gestão de negócios, revela que no mês de março foi registrado um volume de 4.336.919 cheques devolvidos no País. Um aumento de 62% em relação a fevereiro, e de 13,68 % em relação a março de 2005. Nos últimos doze meses acumulados, o crescimento do volume de cheques devolvidos foi de 3,41%, em relação a igual período anterior. Para o acumulado de 2006, frente a 2005 espera-se que o crescimento da inadimplência não ultrapasse a 5%.

Segundo o coordenador do Centro de Conhecimento Equifax, Alcides Leite, o grande aumento do volume de cheques devolvidos, registrado em março deste ano, em relação ao mesmo mês do ano passado, deve-se, principalmente ao crescimento do volume de crédito ocorrido no período e ao alto grau de endividamento das famílias com compromissos adquiridos via crédito consignado em folha de pagamento, fenômeno marcante nas classes C e D.

“O esgotamento da capacidade de endividamento e o crescimento da renda familiar, fruto do aumento do salário mínimo, devem inibir a expansão da inadimplência ao longo de 2006”, acredita o professor. Outro fator que também influenciou na análise crescimento, segundo Leite, é que o mês de março teve três dias úteis a mais do que fevereiro. Leite alerta que os inadimplentes devem dar prioridade para quitar os compromissos antes de adquirir novas dívidas.

Protestos – Quanto ao volume de títulos protestados, dados da Equifax mostram que em março houve um crescimento de 29,39% em relação a fevereiro e de 19,92% em relação a março de 2005. No mês passado foram registrados 838.174 protestos contra 674.779 registrados em fevereiro e 698.969 registrados em março de 2005. “O crescimento do volume de títulos protestados deve-se, principalmente, aos altos juros reais e ao baixo crescimento da economia no ano passado. Com queda dos juros e maior crescimento do PIB ao longo de 2006, espera-se que o volume relativo de protestos possa recuar, ou pelo menos parar de crescer, como vem ocorrendo nos últimos meses”, finaliza o coordenador.

A análise de inadimplência da Equifax é baseada em informações públicas fornecidas pelo Banco Central, por cartórios, juntas comerciais, fóruns e a partir das transações comerciais realizadas por seus 28 mil clientes em todo o País. O banco de dados da Equifax registra 261 milhões de informações positivas, 115,4 milhões sobre cheques sem fundos, 29 milhões de títulos protestados, 150 mil informações sobre falências, concordatas e recuperações judiciais e 8,7 mil registros de empresas golpistas.