Indústrias passarão por altos e baixos

0
2



Depois de uma grande expansão entre 2003 e 2007, as indústrias estão prevendo tempos difíceis. É o que mostra pesquisa da Grant Thornton International (GTI), representada no Brasil pela Terco Grant Thornton. Além da queda na demanda, a turbulência do mercado financeiro também é motivo de preocupação.

 

No Brasil, o estudo mostra que 50% das indústrias ouvidas (100 de São Paulo, 25 do Rio de Janeiro e 25 de Salvador) exportaram em 2008, contra 39% em 2007. Mas as exportações caíram, globalmente, de 63% para 59% em 2008, o que pode sinalizar uma mudança de tendências para o próximo ano. “Este ano, o empresário deverá avaliar e estar atento às oportunidades, como a maior competitividade que a taxa de câmbio traz, mas também analisar os efeitos de maior concorrência vinda do desaquecimento de transações locais em alguns países, o que deverá reduzir os preços nominais de certos produtos”, explica André Viola Ferreira, sócio da Terco Grant Thornton.

 

Alex MacBeath, líder global da Grant Thornton International para assuntos ligados a empresas de capital fechado, diz que “os próximos 12 meses serão os mais difíceis das últimas décadas”. Por causa de todos estes aspectos, a Grant Thornton recomenda que as indústrias se preparem para este ano. Pois, agindo corretamente e com rapidez, poderão superar a crise. “Elas precisam estar alertas para encontrar oportunidades de expansão e, mais uma vez, a qualidade e agilidade são determinantes”, diz André Viola Ferreira. “Pesquisas e marketing também podem ser um diferencial positivo”, completa Alex MacBeath.