ISI do Brasil supera média latino-americana

0
6


“Os resultados do 4º trimestre de 2010 do Indicador da Sociedade da Informação (ISI) para a América Latina atingiram 4,66 pontos para o Brasil no ano passado e preveem 4,79 pontos para 2011, um novo recorde para o país, indicando um crescimento significativo de 3%, que deverá conduzir a uma evolução anual de 2,8%.” Quem afirma é Teodoro Lopez, CEO da Everis, consultoria multinacional de negócios, tecnologia e outsourcing.
 
Realizado em parceria com a IESE Business School, o estudo, que avalia o nível de desenvolvimento tecnológico das sociedades latino-americanas, aponta expectativas inusitadas para 2011. “O ISI brasileiro evolui em ritmo menos acelerado, mas ainda assim deve atingir picos de crescimento em diversos componentes do cálculo, como superação de médias regionais de usuários de Internet, domínios registrados e gastos em equipamentos e serviços”, diz Teodoro Lopez.
 
Ainda entre as previsões para 2011, pela primeira vez desde 1995-1996, o Brasil deverá superar o México, no que diz respeito ao PIB per capita. Nos quatro próximos trimestres, o ISI brasileiro tende a se manter em paralelo com a média latino-americana. A pontuação média da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) deve caminhar em ritmo menos acelerado e consequentemente o Ambiente da Sociedade da Informação (ESI) deve manter aumentos similares, fato não registrado desde 2007.
 
O aumento para as TIC deverá ser menos acentuado, pois, a telefonia móvel tende a alcançar sua maior pontuação possível, uma vez que o País deverá atingir 1.049 celulares para cada mil habitantes. Da mesma forma haverá um aumento gradual na proporção de usuários de Internet que contam com serviço de banda larga fixa, (15,5%) o que significa mais de seis pontos percentuais abaixo da média na América Latina.
 
No segmento Equipamentos, o Brasil deverá somar 338 computadores para cada mil habitantes (14,2% a mais que no mesmo período em 2010). As redes sociais se mantêm na liderança, com uma estimativa de aumento no número de usuários que deve bater a casa dos 83 para cada mil habitantes. Por fim, o Brasil deverá viver um crescimento maior que a média regional no número de domínios registrados na Internet (27 para cada mil habitantes, um aumento anual de 15,4%), dos usuários da rede (460 para cada mil habitantes, com um aumento de 10%) e o gasto em TIC (444 US$ per capita, aumento anual de 8,1%).