Losango aposta em novas parcerias

0
10


A Losango, braço de crédito popular do Grupo HSBC, anuncia dez novas parcerias com as principais redes de lojas de departamentos e de móveis e eletrodomésticos em todas as regiões do país. A partir deste mês, as redes Casa Amarela, City Lar, Credimóveis, Emanuelle, Franco Eletro, Laser Eletro, Narciso, Rabelo, Ricardo Eletro e Volpato oferecem aos clientes os cartões com dupla finalidade Losango Visa. Os novos cartões podem ser utilizados para compras nas lojas das redes parceiras, com financiamento da Losango, e para compras a crédito em toda a rede credenciada pela bandeira Visa.

“Estamos avançando cada vez mais no mercado de cartões populares e, para dar prosseguimento a essa estratégia de negócios, é fundamental ter ao nosso lado importantes parceiros. As dez novas redes varejistas associadas à Losango garantirão uma cobertura pulverizada e efetiva da empresa nos quatro cantos do país. Ao todo, serão 577 novos pontos de venda com crédito financiado e facilitado pela Losango, com faturamento anual/total estimado em R$ 1,5 bilhão. Com essa iniciativa, esperamos distribuir mais de 2 milhões de cartões até 2007”, afirma Henrique Frayha, CEO da Losango.

A aposta da promotora de vendas no segmento de cartões de crédito popular, voltado para as classes D e E, acompanha a tendência de mercado nacional, que aponta ter sido este o setor de cartões que mais cresceu em 2005. O novo cartão de crédito Losango Visa, com dupla funcionalidade, garante ao consumidor benefícios exclusivos em toda a rede de lojas parceiras, com financiamento da Losango e compras a crédito em toda a rede credenciada pela bandeira Visa, com aceitação em mais de 900 mil estabelecimentos em todo país.

Com essa expansão da carteira de produtos, a Losango espera reforçar sua posição no segmento e se firmar entre as três maiores empresas de cartões populares do mercado nacional até o fim deste ano. A meta é ampliar a base de clientes de 17 para 20 milhões e o número de filiais de 305 para 400, passando os ativos de R$ 3,5 bilhões para R$ 5 bilhões em 2007. Henrique acredita que a participação da população de baixa renda alcance 23,1% do mercado, com 18,5 milhões de cartões (de um total de 80,127 milhões) até o final do ano. “Este aumento reflete o amadurecimento do consumidor em relação ao uso e aos benefícios do cartão, o que vai aumentar diretamente o consumo. Parcerias com as grandes redes varejistas também impulsionam o setor”, afirma Frayha.