Mais do que vender, se estruturar

0
2
Rumo à quinta edição no Brasil, o Black Friday, que acontece no dia 28 de novembro, já pode ser considerado como o evento que mais movimenta dinheiro no mercado online. Pode parecer pretensão, mas já se estima que a data gere mais de R$ 1,11 bilhões. Criado nos Estados Unidos, o Black Friday (ou Sexta-feira Negra, em português) ocorre na sexta-feira após o feriado de Ações de Graça, abrindo o período de compras para o Natal. Assim, o dia ficou marcado com lojas oferecendo grandes descontos e a ideia se espalhou por outros países. E o termo já basta para chamar atenção dos consumidores, inclusive os brasileiros, que já o associam a promoções e preços reduzidos. Mas, além dos clientes, o evento também promete trazer benefícios às empresas, que vão além da possibilidade de aumentar as vendas.
No dia, é comum que os clientes realizem pesquisas atrás daquela empresa que forneça a melhor oferta e, aquela que a fizer terá maiores chances de fidelização do comprador. Mas, será que somente a melhor oferta basta? A resposta é clara: não. O fundados da Agência St, Eduardo Storini, explica o porquê: “devido aos grandes problemas que têm tido no e-commerce nos últimos anos, com sites saindo do ar, porque o servidor não aguentava o número de compras e usuários ao mesmo tempo em seus sites, se uma loja conseguir se estruturar para tornar o processo o mais rápido possível, junto com as ofertas e até mesmo o prazo de entrega, pode acabar fidelizando o cliente que falará bem do seu negócio para diversas outras pessoas”. 
Dessa forma, mais do que se preocupar com o quanto conseguirá vender ou quantos clientes novos irá conquistar, o empreendedor precisa se preocupar com a estruturação de seu site. Caso contrário, os outros dois fatores não serão possíveis de serem realizados. É importante focar na estruturação do site não apenas para a data, uma vez que assim pode não haver investimento e nem tempo suficientes para o preparo. “É se estruturar para poder oferecer o melhor serviço possível e em qualquer época do ano, até mesmo nesses grandes picos de venda, assim ela conseguirá adquirir cada vez mais clientes e crescer no mercado”, adiciona Storini.  
Como vantagem de se fazer presente no Black Friday, a empresa que estiver bem preparada conta com a possibilidade de aumentar o número de cliente satisfeitos e fiéis à ela, junto a isso, crescerá o número de divulgadores da marca. A construção do relacionamento deve, sim, ser o principal foco, uma vez que o objetivo deve ser conquistar o consumidor em logo prazo. Mas, para que isso ocorra, é preciso que a loja tenha funcionamento perfeito aos olhos do cliente, em todos os processos, desde a compra até a entrega. “Um erro em qualquer um desses sentidos, pode virar facilmente piada nas redes sociais, o que dará um bom trabalho depois para recuperar qualquer dano que tenha sido causado na relevância do e-commerce”, afirma o executivo. 
Para se ter uma ideia, na edição do ano passado, as lojas virtuais tiveram mais de 700 mil acessos por minuto. Ou seja, é necessário planejamento de como todo o processo de compra será feito, para que o cliente tenha uma experiência positiva e a empresa não arrisque a sua sobrevivência. “Sem ele (planejamento) durante o evento será apenas mais uma empresa kamikaze arriscando a marca, imagem da empresa e não conseguirá manter o consumidor como um cliente fiel. É nunca esquecer de tomar todos os cuidados necessários para que não prometa coisas que não possa cumprir ou não suprir as necessidades dos usuários”. Por exemplo, descontos baixos, que geram descontentamento do comprador e, até, a desistência do carrinho, ou manipulação dos preços, aumentando-os antes do evento e retornando ao valor antigo, fingindo uma promoção. “Os consumidores estão cada vez mais atento com essas manipulações de valores e pesquisando bastante antes de comprarem o que desejam”, alerta Storini. 
 
Porém, não há nenhum bicho de setes cabeças para lidar com o Black Friday. Storini ainda explica que na própria internet há sites que ensinam maneiras para estar preparado. “Se todo mundo fizer o ‘Bê-a-bá’ certinho do marketing digital e tratar com carinho seu relacionamento com o cliente, terá muito resultado no dia 28 de novembro”, prevê ele.