Marca faz diferença?

0
3



Pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), envolvendo 800 entrevistas pessoais aplicadas em pontos de fluxo da Capital, apontou que 50,2% dos cidadãos não se preocupam em consumir marcas conhecidas. Dentre as classes sociais, os consumidores A e B são os mais preocupados em consumir marcas conhecidas (40%).

 

A superintendente de Marketing da ACSP, Sandra Turchi, acrescenta que as classes D e E apresentam a percepção inversa, com 21% preocupados em obter produtos de marcas conhecidas. “O consumidor da baixa renda está em busca de ´custo x benefício´, o que reflete em procurar nas marcas mais baratas o que ele geralmente encontra nas mais caras. Entretanto, vale salientar que esse público apresenta uma fidelidade maior às marcas que consome”, aponta. Sandra acrescenta que, dentro da amostragem, 82,8% dos entrevistados concordam que marcas com melhor qualidade são mais caras.