Marketing digital na indústria de bens de consumo

0
3
Autor: Jean Joubeir
Todos nós sabemos que o mundo digital mudou radicalmente a relação entre cliente e empresa/marca. Sobretudo as companhias de bens de consumo que não aproveitarem o momento das tecnologias digitais para melhorar seus esforços de marketing, perderão espaço para a concorrência. Mas dentro desse universo de possibilidades, fica difícil medir efetivamente a maturidade da estratégia digital de cada negócio, não é mesmo? Talvez não. Segundo um recente estudo da Forbes realizado em parceria com a Wipro, o The Race Is On In Consumer Goods, existem cinco níveis que apontam a evolução da adoção das estratégias digitais pelas companhias de bens de consumo, sejam elas de produtos eletrônicos, alimentos, bebidas, cuidados pessoais, casa, etc.:
Transformadora – É a empresa que já abraçou uma ampla gama de estratégias digitais, sociais, mobile, ferramentas da web e analytics, transformando não só as áreas de vendas e marketing, mas também planejando integrar esses aprendizados na sua estratégia de negócios. 90% das empresas transformadoras entrevistadas apontam o marketing digital hoje como prioridade.
Ativa – É a companhia que está adotando uma grande quantidade de estratégias de marketing digital e vendas, com o objetivo de transformar não só esses setores, mas também o negócio como um todo.
Incremental – É a empresa que ainda está adicionando estratégias e ferramentas digitais para as estruturas de marketing e vendas existentes – testando e aprendendo – mas ainda não adotaram ou padronizaram plenamente tais soluções.
Prudente – Já olhou para as estratégias de marketing digital, mas ainda não identificou nenhuma possível oportunidade.
Incerta – Ainda não examinou todas as estratégias e tecnologias digitais.
A mesma pesquisa, porém, apontou que a cada cinco empresas que possuem uma estratégia digital, apenas uma delas é considerada transformadora. Isso porque 43% dos executivos acreditam que a área de TI é muito ocupada para auxiliar nos processos de marketing, e 65% deles acreditam que suas empresas precisam se empenhar mais ao utilizar as tecnologias digitais para otimizar e eficácia do marketing. Apesar disso, 78% já planejam elevar seus investimentos em marketing digital no próximo ano. 
É importante, claro, que haja um planejamento consistente até que a empresa chegue ao estágio das companhias transformadoras, e seu sucesso depende da compreensão de como utilizar ferramentas e estratégias digitais para conhecer o seu consumidor e alavancar a receita através da conquista, fidelização e engajamento de clientes. Para isso, é fundamental o alinhamento entre as áreas de marketing e TI – 38% das empresas transformadoras consideram essa uma atitude relevante para elevar a eficácia do marketing digital. E essas ações não exigem apenas um website integrado a dispositivos móveis ou conteúdo relevante nas redes sociais, mas pedem também a aplicação de conceitos como omnichannel e análise de dados para gerar bons resultados. 
As empresas transformadoras já compreendem que a tecnologia vai auxiliar na análise das informações para que a estratégia de marketing seja cada vez mais assertiva e se reverta em bons resultados para a companhia. Mas e a sua empresa, como se encaixa nesse cenário?
Jean Joubeir é head de vendas para o segmento de bens de consumo e varejo da Wipro na América Latina.