McCann-Erickson aposta em sitema de backup

0
13

De olho em seu grande volume de dados (campanhas e peças publicitárias, filmes, etc), a McCann-Erickson acaba de reestruturar todo seu sistema de backup, reduzindo o tempo de cópia dos dados em 18 horas e, obtendo com isso, sensível redução de custos operacionais. Todo o projeto de reestruturação do sistema de backup foi desenhado e implantado pela 2S, empresa de consultoria e integradora especializada em soluções corporativas de TI. A McCann-Erickson é considerada uma das maiores agências publicitárias do mundo e conta conta com clientes como a Coca-Cola, Chevrolet, Dupont, General Motors, Goodyear e inúmeros outros.
De acordo com Porifirio de Macedo, coordenador de operações para América Latina da McCann, as necessidades de backup da empresa eram muito grandes, uma vez que o volume de dados é imenso e a infra-estrutura de TI precisava ser modernizada.
Antes deste projeto de reestruturação do sistema de backup, contávamos com software Backup Exec 7.3 multiserver da Veritas, um sistema muito bom, mas que a versão já não atendia a expansão da empresa. “Nosso backup levava cerca de 48 horas, começando à sexta-feira à noite (às 22:00 horas) e terminava apenas no domingo no final da tarde, entre 17h00 e 18h00 horas. Com isso, tínhamos que dispor de profissionais de plantão durante todo o final de semana”, comenta Macedo.
Outra importante necessidade da McCann era a centralização do gerenciamento do ambiente de backup. Na época, quatro servidores eram responsáveis pela cópia dos dados. Além disso, o ambiente bastante diversificado complicava ainda mais a administração do backup. Pois, a agência possui banco de dados Oracle, ambiente web, firewall e software de gestão da SAP. “Ainda, o backup do SAP era feito de forma independente, ou seja, separada dos demais”, desabafa Macedo.

Solução
A 2S analisou todo o ambiente e a infra-estrutura de rede da McCann e prestou consultoria em políticas de backup, agregando serviços e novos produtos. Fez parte da solução implantada pela integradora, o software Backup Exec 9.1 da Veritas. Além do novo software, foi feita a centralização de todo o ambiente de backup em apenas um servidor, incluindo o sistema SAP, que antes era feito em outra máquina, de forma independente.
De acordo com Marcos Tadeu Souza, consultor técnico da 2S, o processo de consultoria se deu em duas etapas. A primeira foi focada na análise da infra-estrutura da empresa, na qual foram detectados alguns problemas na rede. Ainda nesta fase, foram feitos vários teste de produtos para backup. Já na segunda, todo o projeto foi configurado, definido e instalado.
A nova solução reduziu o tempo das cópias dos dados de 48 para 30 horas e também tornou a cópia e a troca das fitas automática, que antes era manual. Além disso, o sistema atual provê relatórios de funcionamento e avisa quando há algum tipo de falha, detectando qual o problema. “O novo sistema chega ao ponto de enviar mensagens para o celular da equipe de TI se houver algum tipo de falha no backup, especificando qual o erro”, diz Macedo.
O novo sistema de backup eliminou a necessidade dos profissionais ficarem de plantão de sexta até domingo. “Quando, raramente, vai alguém para empresa durante o final de semana verificar como está o backup, leva muito pouco tempo, pois já sabe se irá encontrar alguma falha e qual é o problema”, fala o coordenador de operações.
Já Simone Ferreira, gerente de negócios da 2S responsável pela conta da McCann-Erickson, comenta que com o sistema de backup centralizado, cópia e troca de ficas automáticas, envio de relatórios e avisos de falhas, todo ambiente ficou bem mais fácil de ser administrado. Assim, a equipe de TI é da McCann – que é composta por apenas três pessoas (sem contar os profissionais terceirizados) – pode focar-se no seu core business.
Para o futuro, os planos de TI da McCann vão ficar por conta de investimentos na infra-estrutura da rede que, segundo Macedo, ainda precisa ser atualizada e padronizada. “Com maior facilidade no gerenciamento do ambiente, já ampliamos o número de servidores de 37 para 50. Mas não vamos parar por aí, queremos preparar nossa rede para tecnologias cada vez mais modernas”, afirma o coordenador de operações da McCann.