Mercado brasileiro de TI crescerá 14,5% em 2007

0
2


O mercado brasileiro de TI deve crescer 14,5% e atingir a receita de US$ 18,6 bilhões (dólares constantes) em 2007, segundo os dados consolidados do Brazil Spending Patterns: The Brazil Black Book, que a IDC acaba de concluir, referente ao último trimestre de 2006. No ano passado o mercado movimentou um total de investimentos de US$ 16,2 bilhões, alta de 12,8% sobre 2005. A maioria dos gastos foi proveniente de serviços, segmento que já representa 40% do total de investimentos, o que indica mais maturidade do mercado.

Para Emerson Gibin, gerente do Grupo Central de Pesquisas da IDC América Latina, o cruzamento das informações com as provenientes do mesmo estudo realizado em outros países fornece a real percepção dos mercados em suas diferentes fases de amadurecimento. “As análises do Brasil, por exemplo, indicam que o País está há anos na fase intermediária, entretanto à frente nesta fase antes que outros mercados considerados emergentes”, completa.

Sobre os investimentos realizados nos mercados do BRIC é interessante a comparação com os do Brasil. De acordo com o Black Book da China, que é considerada a 4ª maior economia do mundo, apesar de seu crescimento em TI no ano passado ser pouco acima do obtido pelo Brasil – aumentou 15,7%, o valor total de seus investimentos girou em torno de US$ 38 bilhões. Lá, serviços representam apenas 16% do total dos investimentos. Já a Índia, que junto com a China está em primeiro lugar no foco de investimentos mundiais no BRIC, obteve 30,5% de crescimento nos gastos com tecnologia e o movimento total de US$ 13,6 bilhões. Para se ter uma idéia, serviços na Índia tomam 26% do total da receita com TI.

“TI no Brasil está mais madura que nos outros mercados do BRIC, porém crescendo a taxas menores. China e Índia possuem mercados gigantescos, com muita produção local, o que lhes abre um campo enorme para exportar. O crescimento rápido da Índia, por exemplo, que está investindo muito na exportação de serviços, especialmente de off shore e outsourcing, nos leva a acreditar que em 2010 irá equipar-se ao mercado brasileiro de TI”, explica Emerson.

O Brasil também está a passos mais largos com os investimentos em computadores. Para 2007, a expectativa da IDC é de um crescimento de mais de 16% no valor obtido com as compras de PCs. Na Índia, que vem investindo bastante em educação, este crescimento é previsto em 19,5%, enquanto que na China será pouco mais que 13%. Emerson credita este bom desempenho do Brasil ao aumento na produção das marcas nacionais de PCs e a consequente política agressiva de preços para driblar a concorrência com os fabricantes internacionais. Iniciativas do governo, se bem dirigidas, podem elevar ainda mais as taxas de crescimento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEntidades pedem norma para setor
Próximo artigoBraxis assume 33% da CPM