Mercado e serviços para público 60+

0
6
Na última terça-feira, 1 de outubro, foi comemorado o Dia Mundial do Idoso, instituído pela ONU em 1990. A data, criada para conscientização das necessidades dessa parcela da população, traz à tona a reflexão sobre a realidade e projeções para esse público, que representa atualmente 14,3% da população brasileira, correspondendo a quase 30 milhões de pessoas, de acordo com dados do Ministério da Saúde.
O IBGE aponta também a projeção dessa população para os próximos anos, quando o Brasil se tornará um país com mais idosos (pessoas acima dos 60) do que jovens (0-14), em um processo de inversão da pirâmide etária nacional. Em consonância com esse crescimento, essa parcela da população apresenta um percentual e potencial significativos para o mercado.
Até o ano que vem, estima-se que o público 60+ represente 16% da renda nacional. Com isso, empresas e serviços voltam-se às necessidades dessa população, como é o caso da TeleHelp, empresa de teleassistência presente há 14 anos no Brasil. O serviço de teleassistência consiste em assegurar a autonomia desse público, garantindo um suporte 24h em casos de emergência ou necessidades do dia a dia.
“O público 60+ representa um enorme potencial de consumo e está exigindo cada vez mais serviços e produtos que sejam pensados para ele”, analisa o CEO da TeleHelp, Bruno Mouco. “Pensar em alternativas e tecnologias que vão ao encontro das necessidades desse consumidor tem sido o que a TeleHelp vem buscando fazer nos últimos anos e queremos continuar. Enxergar as potencialidades e particularidades do público 60+, levando em conta a experiência de consumo do cliente é um caminho importante para o crescimento desse mercado”, completa Mouco.