Metrô de São Paulo integra bancos de dados

0
1



A Ética Software, empresa especializada em integração de dados e business intelligence, pertencente ao Grupo Keyrus, desenvolveu o projeto de integração de dados da Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô. A empresa necessitava adequar a arquitetura de integração de dados existente, sedimentada em diversas plataformas como Mainframe, Windows e Linux e diversos banco de dados tais como: DB2, Oracle, SQLServer, PostgreSQL e, ainda, DBFs e arquivos texto.


Esta solução de extração de dados e integração de informações foi uma medida de preservação dos investimentos até hoje já realizados e que também buscou maximizar os resultados com o melhor uso do patrimônio de informações existentes nas bases de dados. O projeto atende a uma crescente demanda de desenvolvimento de aplicações, disponibilizando aos usuários dados replicados o mais rápido possível e expandindo a distribuição de dados para a tecnologia de Arquitetura de EAI (Enterprise Application Integration) de forma a possibilitar a gestão global do acervo de informações armazenadas pelos diversos sistemas informatizados, por meio de DW, BI, replicação e sincronização de dados, entre outros.


Para a realização do projeto, a Ética Software utilizou a ferramenta de integração de dados Oracle Data Integrator (ODI), que tornou possível adequar a Arquitetura de Integração de Dados ao ambiente heterogêneo de plataformas e bancos de dados sem prejudicar o legado, além de estruturá-la para suportar as novas tecnologias existentes no mercado. “O ODI permite trabalhar em ambientes distintos para produção e desenvolvimento. A interface de desenvolvimento automatiza plenamente a integração entre os diversos bancos, o que no Metrô é imprescindível devido à diversidade e quantidade de bancos de dados que precisam ser integrados”, explica Maria Cecília Serapião, coordenadora de metodologia e arquitetura de dados do Metrô de São Paulo.


O projeto beneficiou praticamente todos os setores do Metrô, mas para se ter uma idéia dos resultados obtidos, os 200 mil registros de ítens de notas fiscais do departamento financeiro eram replicados em cinco horas na modalidade full. Com o ODI, o mesmo trabalho passou a ser realizado em apenas nove minutos, na modalidade incremental. Outra área que se beneficiou com a integração foi a de recursos humanos, que teve uma redução de 11 horas no tempo de réplica (de 12 para apenas uma hora), tendo uma base de dados com cerca de 1.700.000 registros de ponto eletrônico por dia.