Mídias off-line na construção das marcas

0
0
Autor: Juliano Souza
Quando você é pequeno conhece um monte de crianças, e elege um melhor amigo, com o passar do tempo vêm os colegas da faculdade, do trabalho, aquele cara gente boa que conheceu na convenção, no evento, na viagem pra Austrália, e assim a sua lista só aumenta com pessoas cada vez mais influentes e atualizadas. Mas, aquele eleito que esteve ao seu lado desde quando caiu seu primeiro dente continua firme, trazendo memórias felizes nos momentos mais importantes.
E assim é a propaganda off-line, aquele velho amigo de infância, sempre presente em sua vida. Por mais que a Internet seja o grande hype, e o marketing digital já tenha comprovado ser extremamente eficiente para alavancar os negócios, principalmente quando falamos em e-commerce, o investimento em canais fora da web tem muito significado para o fortalecimento da marca. 
O Metrô de São Paulo transporta cerca de quatro milhões de pessoas por dia, logo, quando se faz uma inserção em uma mídia Out of Home, como aquelas TVs que ficam dentro dos trens, o seu nome fica exposto para uma grande parte da população que possivelmente não enxergaria o seu banner dentro do site, mas que naquela hora corriqueira acabou prestando atenção à TV do transporte público para se distrair.
Temos ainda as mídias off-line mais tradicionais como a televisão, essa caixa mágica que está presente em aproximadamente 59 milhões de lares, de acordo com o IBGE. Também temos o bom e velho rádio e, nas cidades em que ainda são permitidos, os outdoors ainda fazem sucesso. 
Ao tornar a sua marca visível nesses canais tradicionais, as chances de ter sucesso nos meio digitais aumentam. Por exemplo, quando uma pessoa faz uma pesquisa por determinado serviço ou produto em um buscador e sua loja aparecer no resultado, as chances desse internauta clicar no seu link tornam-se maiores se ele já tiver reconhecido seu nome de algum lugar, como no trânsito ou no intervalo da novela.
Assim como aquele amigo de infância, a propaganda off-line nunca vai ficar obsoleta, ela representa aquela boa indicação: “pode confiar, é meu camarada”. No final das contas, de mãos dadas, as duas vias são essências para o futuro da sua marca.
Juliano Souza é gerente de marketing da Giuliana Flores.