Moderna gestão hospitalar

0
13

O Hospital-Dia e Maternidade da Unimed de Belo Horizonte é exemplo de como a tecnologia pode ser uma grande aliada das instituições de saúde para melhorar a qualidade do atendimento. Inaugurado em janeiro deste ano, com 97 leitos e um investimento total de R$ 18 milhões, o Hospital apresenta como diferencial o uso do moderno sistema de gestão hospitalar MV 2000i, desenvolvido pela MV Sistemas.

O MV 2000i é formado por mais de 30 módulos que trocam e gerenciam milhares de dados, não só sobre o estado de saúde de cada paciente, como também questões relacionadas à administração do hospital, como custos e resultados, almoxarifado, compras, convênios, fornecedores e manutenção, entre outros.

Computadores de mão
Destaque da solução MV 2000i e que mais vem chamando atenção de médicos e pacientes é o Prontuário Eletrônico. De forma operacional simples e eficaz, o sistema visa registrar e controlar todas as informações assistenciais ao paciente. O produto permite que os médicos façam todas as anotações clínicas diretamente em computadores ligados em rede ou em PDAs (computadores de mão), diferentemente dos habituais registros em pranchetas, freqüentes ainda na maioria dos hospitais. Também são inseridos no sistema, pelo médico ou enfermeiro, todos os cuidados, prescrições de medicamentos, solicitações de exames, raio-x, tipo de sangue, etc, gerando requisições automáticas aos setores responsáveis, além de registrar o consumo e seus respectivos valores diretamente na conta hospitalar.

No momento da internação, os pacientes recebem uma pulseira de identificação com código de barras. Esse acessório é utilizado, por exemplo, toda vez que o auxiliar de enfermagem administra qualquer medicamento. Antes da aplicação, através de um leitor ótico acoplado no PDA, é realizada a conferência da pulseira do paciente e dos códigos de barras presentes nas caixas e kits de medicamentos. Além disso, são registrados automaticamente a data, a hora e o profissional responsável pela checagem. Como o prontuário eletrônico reúne todas as informações do paciente e medicamentos prescritos e proibidos pelos médicos, a possibilidade de erro diminui drasticamente.

Prontuários em papel

O uso de PDAs também facilita o registro de dados vitais e balanço hídrico dos pacientes internados. Quando anotados em prontuários em papel, essas informações, depois de utilizadas, geralmente não servem para nada. No sistema, é possível obter estatísticas desses dados.

O Prontuário Eletrônico dispõe ainda de um recurso prático e útil chamado “Documentos do Prontuário”, que tem como principal função a formatação de formulários padrão que podem ser utilizados para coletar dados essenciais à assistência ao paciente, entre os quais, evoluções médicas, evoluções de enfermagem, registro de dados anestésicos, folha de parada, admissão e anamnese.

Para o cirurgião Carlos Rubens Maciel, diretor de Provimento de Saúde da Unimed-BH, a aceitação do sistema por parte da equipe foi tranqüila. “As poucas resistências que ocorreram logo se arrefeceram, pela rápida percepção da agilidade e segurança que o software oferece”, destaca. O médico explica que a equipe do hospital passou por treinamento rigoroso, sob o acompanhamento direto da consultoria da MV Sistemas. Além disso, a Unimed-BH investiu na formação de multiplicadores de informações permanentes dentro do Hospital. “Embora o sistema seja simples, era necessário que todos médicos, enfermeiros e auxiliares se familiarizassem com o software”, acrescenta. Em dois meses, foram treinados 770 médicos, sob a supervisão da MV Sistemas.