Mudanças de hábitos

0
8
Estar conectado hoje já não é novidade para ninguém. Nos dias atuais, a maioria das pessoas possui smartphones, tablets, notebooks… Com a ajuda dessas tecnologias, a vida tornou-se mais prática. Mas e se pensarmos nas facilidades que podemos ter com a conectividade de objetos como eletrodomésticos, televisões e automóveis? É isso que a Internet das Coisas promete. Porém, mais do que tornar mais fácil o dia a dia do cliente, ela também ajudará, e muito, as empresas. Com ela, será possível conhecer mais o perfil dos clientes, oferecendo um serviço ainda mais qualificado, segundo o consultor Eduardo Souza Aranha. “Com a Internet das Coisas, a integração das bases de dados das coisas com os dados individuais dos consumidores abre horizontes excepcionais. O futuro será muito mais desafiante. Essa tecnologia que conecta os objetos do nosso dia a dia a Internet para proporcionar ambientes inteligentes, revolucionará a nossa vida, como profissionais de marketing e consumidores”, afirma.
A tendência é que, com o avanço da tecnologia, as pessoas passem a mudar seus hábitos e que, as simples tarefas do dia a dia, como as compras do mês, passem a ser realizadas pela Internet, como afirma Aranha. “A luta pelo espaço ou posição na gôndola nos supermercados poderá se tornar coisa do passado. Se a geladeira e os demais eletrodomésticos estiverem conectados à Internet, o principal canal de vendas tenderá a ser o e-commerce”, pontua. Assim na Internet das Coisas, a aliança entre as marcas de produtos de consumo e os varejistas será vital. “Promoções conjuntas, em ações customizadas ao perfil do cliente com ofertas super pertinentes ao estilo de consumo de alimentos da residência, se tornarão corriqueiras.”
Segundo o consultor, ter total conhecimento do perfil do cliente e entender quais são suas necessidades e quais produtos ele consome, com o auxílio da tecnologia, é a principal meta das empresas para o futuro. “O verdadeiro domínio do conhecimento das informações do comportamento da compra será o nome do novo jogo. Criatividade, CRM, Big Data, BI, tecnologia digital e a qualidade do conhecimento e do relacionamento com o cliente serão as armas para vencer neste novo mundo, que se aproxima de forma inexorável”, acrescenta.