Natal, cada vez mais uma data comercial

0
1


O Instituto Qualibest acabou de finalizar uma pesquisa com 1.169 internautas para obter informações sobre a relação entre Natal e consumo, além de analisar como os consumidores reagem ao fato do comércio abordar a celebração mais cedo a cada ano. Quando questionados sobre a primeira coisa que vem à mente quando se fala em Natal, quatro em cada dez entrevistados citaram presente ou Papai Noel, enquanto o motivo original da data, o nascimento de Cristo, apareceu em quarto lugar nas menções.

Grande parte dos internautas concorda com as afirmações de que o Natal está se transformando cada vez mais em uma ocasião comercial, opinião de 86%, e que as pessoas não sabem mais qual é o verdadeiro motivo da celebração, opinião de 79%. Para 64% dos entrevistados, o comércio está explorando o Natal cada vez com maior intensidade e sempre mais cedo a cada ano. Destas pessoas, aproximadamente metade vêm fazendo, pelo menos, uma parte das compras de forma antecipada ao longo do tempo, sendo que as mulheres são um pouco mais suscetíveis com 51%, contra 43% dos homens.

Se o Natal está chegando cada vez mais cedo, apenas 8% asseguraram que se sentem muito ou extremamente incomodados com isso, contra 59% que disseram não se incomodar. Os entrevistados da Região Sul são os que afirmam mais enfaticamente que o comércio deveria aguardar uma data mais próxima da celebração.