Nesse jogo, todos vencem

0
1
Apesar de sempre ser disseminado que no mercado há espaço para todos, inclusive para os pequenos e médios empreendedores, também se sabe que quanto maior uma loja ou uma rede, também será proporcional sua atenção aos clientes. Na Internet, mesmo que seja mais complicado essa comparação de tamanho, as grandes empresas, que já são reconhecidas no off-line, geralmente, possuem uma vantagem. Dessa forma, para que pequenos e médios varejistas também tenham chances, está em crescimento no varejo online o mercado de marketplace, que são os sites que funcionam como vitrines virtuais e varejistas podem se cadastrar e vender seus produtos. “Vemos, hoje, grandes lojas se mantendo como âncoras em novos marketplaces e pequenos marketplaces surgindo no mercado, sempre em parceria com grandes empresas e pequenos varejistas”, explica Fátima Bana, consultora em marketing digital, e-commerce e comportamento do consumidor. 
Na verdade, segundo a consultora, o marketplace proporciona uma oportunidade de ganho para todos os lados, pois, seja para as grandes que criaram a loja ou para os varejistas que vendem por ela, a visibilidade será maior para ambas. Já os clientes ganham pela oportunidade de obterem mais opção de compra, tanto na maior oferta de canal quanto em de vendedor à disposição. “Para as empresas, quanto maior for o marketplace, mais bem situado no mercado e com número grande de acessos, melhor para a empresa que decide entrar no grupo, pois ele deve dividir faturamento”, adiciona. “Geralmente, o cliente é fidelizado ao marketplace e não ao varejista. Para a loja quanto mais mix de produtos, melhor, pois ele faz com que o cliente não saia da sua loja, ele pode encontrar tudo em um só lugar e fechar em um único carrinho. Para o varejista a maior vantagem é realmente a maior exposição de ver sua marca exposta em um grande, que poderia ser um concorrente, mas vira parceiro.” 
A quem estiver interessado em investir neste mercado, para saber se vale a pena, Fátima conta que basta fazer uma conta simples: quanto seria preciso aplicar de aquisição do cliente para chegar ao mesmo nível de exibição que oferece o marketplace? Com isso em mente, fica mais fácil perceber se é melhor fazer parte desse mercado ou abrir um e-commerce próprio – ou até mesmo ter as duas opções. “O diferencial de estar presente neste mercado é, justamente, o que ele pode te oferecer: te mostrar a um número muito maior de pessoas que a sua própria loja”, aponta.  “Os grandes varejistas mantêm suas lojas âncora e possuem outras lojas com mesmo produto. Para o cliente, ele pode escolher diferentes prazos de entrega ou condições especiais. Para o varejista parceiro, ele entra em uma vitrine que anteriormente ele não iria alcançar. É um jogo do ganha ganha.”