No trabalho de confiar e convencer

0
2
Muitas são as estratégias que as empresas têm e que são baseadas no interesse e nas necessidades dos clientes. Seja o lançamento de um novo produto ou serviço, mudança de um ponto de venda, uma campanha de marketing, melhorias nos processos de atendimento, até o treinamento de seus colaboradores. Enfim, para conseguir se manter no mercado, o negócio deve visar agradar e fidelizar o seu público. O mesmo deve ocorrer quando ele pretende inovar. Uma vez que as inovações possuem a possibilidade de gerar vantagens competitivas em médio e longo prazo, é ideal que as empresas as criem focando nas necessidades de seus consumidores para que sejam efetivas e mantenham a sua sustentabilidade no mercado. 
No caso da Anjo Tintas, como conta o presidente, Filipe R. Colombo, inovar focando no cliente faz parte de sua missão. “Buscamos cada vez mais ser uma organização diferenciada neste quesito. Para nós da Anjo, investir em inovação é se colocar em um posição de vantagem em relação aos nossos concorrentes”, afirma ele. Colombo ainda assume que outro fator determinante para o sucesso de uma estratégia inovadora é também convencer o cliente e a comunidade de que a mudança será benéfica, direta ou indiretamente, e precisa, o que pode ser um desafio para o negócio. 
Assim, um caminho para conseguir criar uma estratégia inovadora, a empresa necessita de uma pesquisa naquilo que ela já oferece, junto com os seus consumidores, e perceber quais atributos ela pode modificar ou alterar e que irão ser agradáveis ao público. “Dentre as várias possibilidades de inovar, aquelas que se referem a inovações de produto ou de processo são conhecidas como inovações tecnológicas. É por meio das inovações que acontecem em empresas como a Anjo Tintas que as tecnologias, invenções, produtos, enfim, ideias, chegam ao mercado”, aponta Colombo. Para que a sua empresa realize tais transformações, o presidente conta que há uma área dedicada exclusivamente à inovação, com laboratórios de pesquisa e desenvolvimento. “Além disso, temos a interação com um grupo de pesquisadores e doutores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), trabalhando full time em busca de novas tecnologias para desenvolvermos produtos cada vez mais eficientes para o consumidor.”
Colombo conta que a Anjo Tintas foi criada justamente com o intuito de aperfeiçoar um produto existem no mercado. Exemplos são a Tinta Acrílica Premium Anjo Mais e a Massa Corrida Super Leve Anjo, que foram construídas a partir de pesquisas de mercado com os consumidores, profissionais da área e a UFSC e, assim, foi descoberto o que pode ser melhorado. “Uma das grandes inovações da empresa foi no desenvolvimento de um nicho de mercado ainda não existente, como no caso da Tinta ProtectPack, que é uma tinta para utilização em rótulos flexíveis que elimina até 99,99% das bactérias que entram em contato com essa embalagem, ou seja, possui ação bactericida”, relata. 
Entretanto, ele ainda ressalta sobre a importância de se ter cuidado com o desespero que a empresa pode ter em procurar pela inovação, pois pode trazer riscos à empresa e à confiança do cliente com ela. “Ao mesmo tempo em que os clientes gostam de produtos inovadores ou ações inovadoras, o produto precisa de um tempo de maturação para esses mesmos clientes acostumarem e assimilarem essa inovação”. Se elas ocorrem de maneira seguida, sem tempo de adaptação no mercado, o consumidor pode criar uma insegurança em adquirir um serviço ou produto, uma vez que constantemente é modificado. O que não quer dizer que a inovação não possa ser constantemente buscada. “Toda inovação apresentada é um novo mercado a ser aberto ou uma melhoria/aprimoramento do que já existe.”