Nordah prevê ano positivo para terceirização dos serviços TI

0
3

A Nordah Informática, diante do seu conhecimento no mercado de TI, avista as principais diretrizes para 2003 não somente para as empresas prestadoras de serviços e seus clientes, mas também para os profissionais de TI que nelas atuam. Para Mario Pereira, diretor geral da Nordah, a contratação dos serviços de TI por empresas de diferentes segmentos revela uma tendência de mercado. “Acredito ser uma tendência em crescimento no mercado, tendo em vista a busca das empresas pela redução de custos e aumento da qualidade dos serviços. As empresas querem se dedicar ao seu negócio, ou seja, o foco das empresas será o seu mercado de atuação, a preocupação deve ser com os seus concorrentes”, afirma o diretor.

A Nordah destaca que a relação custo/benefício dos serviços terceirizados sempre será compensadora. “Com a alocação de um profissional não é necessário preocupar-se com plano de cargos e salários, ausência de férias, treinamento, insatisfações, inadequação técnica ou comportamental, isso tudo é resolvido pela prestadora de serviços. Para uma alocação parcial (ITSA – IT Services Assistance), ou seja, numa terceirização inteligente, os benefícios serão ainda maiores, pois o profissional estará alocado apenas pelo tempo necessário, o que reduzirá custos, devendo-se procurar compensar a diminuição da carga trabalho com o aumento da qualidade do profissional”.

Para Pereira, o segmento beira um crescimento de 30% em 2003, principalmente nas áreas de suporte – do help desk ao usuário final, até a retaguarda (redes, sistemas operacionais, DBAs, telecomunicações); desenvolvimento – alocações de mão-de-obra para desenvolvimento de aplicações sob a gerência do próprio cliente; sites – hospedagem e manutenção. Porém, o especialista dá algumas orientações básicas às empresas que pretendem terceirizar sua mão-de-obra de TI:
– Em hipótese alguma o cliente deve terceirizar a inteligência das áreas, nesse ponto é necessário que os seus gerentes estejam preparados e alinhados com os procedimentos e metas da empresa. É de grande importância também que estas metas estejam claramente definidas. Desta forma teremos harmonia entre o que a empresa deseja e o que a terceirização pode oferecer.

– Outra preocupação que a empresa deve ter é não pensar na terceirização apenas como redução de custos, mas sim, como um serviço que trará valor agregado. De que adianta reduzir custos e colocar sua operação na mão de empresas inexperientes? A escolha do fornecedor é de vital importância.

– As empresas que pensam seriamente em terceirização de seu ambiente, não vão optar por profissionais autônomos. Os gestores de TI sabem que não podem apenas pensar na redução de custos contratando profissionais como “free lancers” sem vínculos e responsabilidades concretas.

– A contratação de uma empresa que possa fornecer profissionais qualificados, treinados e certificados deve ter preferência. Uma empresa pode substituir um profissional quando solicitado ou por motivos diversos além de ter todo o suporte de atendimento necessário ao cliente e de investir constantemente na evolução dos profissionais.

– Qualificação e certificação são características muito importantes que os profissionais do mercado atual devem ter e, principalmente, para o trabalho na terceirização, em que o cliente tende a ser muito mais exigente. É importante também a capacidade de adequar-se aos diversos ambientes, negócios e gerências.

– No ponto de vista do profissional, trabalhar em uma consultoria que fornece serviços de terceirização é muito mais atraente. Sua carreira será cuidada pois é o grande bem das consultorias, além de poder atuar em várias empresas que possuem negócios e problemas diferentes enriquecendo sua experiência.