Novembro alivia ano ruim para MPEs

0
1


O faturamento real das micro e pequenas empresas (MPEs) do Estado de São Paulo caiu 2,3% de janeiro a novembro de 2006, comparado com o mesmo período de 2005. Apesar disso, a receita das MPEs nos últimos meses do ano passado teve alguma recuperação: novembro apresentou alta de 4,8% (acréscimo de R$ 1,2 bilhão no universo das MPEs paulistas) em comparação com novembro do ano anterior e aumento de 5,8% ante outubro/06. A expectativa é que as vendas de dezembro ajudem ainda mais a diminuir o ano negativo para as MPEs paulistas. Mesmo assim, especialistas projetam que o faturamento anual deverá registrar queda de cerca de 2% na comparação com 2005. As informações são dos Indicadores Sebrae-SP.

Entre os diferentes setores da economia, as micro e pequenas indústrias tiveram o melhor desempenho no mês, e a receita de novembro foi 9% maior que no mesmo mês de 2005. MPEs de comércio e serviços tiveram alta de 4,2% e 3,8%, respectivamente, em novembro, na comparação de 12 meses. Com o resultado, o setor de indústrias é o único que acumulou ganhos em 2006. Na comparação de janeiro a novembro com o mesmo período do ano anterior, o faturamento ficou 1,8% maior que no mesmo período de 2005. Por esse mesmo critério comércio e serviços tiveram perdas acumuladas de 3,2%.

“Sazonalmente, o último trimestre do ano é o melhor período para as MPEs. As vendas das MPEs da indústria costumam aumentar em outubro e as do comércio em novembro e dezembro. No entanto, em 2006, o que verificamos foi um atraso, tendo esse processo se iniciado apenas a partir de novembro. Mas apesar do reaquecimento tardio, isso não será suficiente para recuperar as perdas do ano”, explica Marco Aurélio.

Por regiões, o Grande ABC saiu-se melhor no acumulado janeiro a novembro de 2006, ante janeiro a novembro/05: +0,9%, enquanto as demais regiões do estado ficarão no vermelho no período: RMSP (-2,5%), interior (-2,1%) e município de São Paulo (-3,2%).

A Pesquisa também apurou qual a expectativa dos empreendedores paulistas. Em dezembro, a maioria dos empresários (54%) acreditavam que o faturamento da empresa ficará estável nos próximos meses (contra 47% em novembro). Em relação à economia como um todo, também aumentou a proporção dos que esperavam manutenção do nível de atividade nos próximos seis meses: 54% em dezembro, contra 44% no mês anterior. Para o coordenador da pesquisa, Marco Aurélio Bedê, “com a inflação sob controle, salários em recuperação, juros em queda e melhora na situação da agropecuária, espera-se uma recuperação modesta das MPEs em 2007”.