O fim do Marketing Dirigido?

0
2
Autor: Marco Antonnio Badia
Após as difíceis negociações do Marco Civil da Internet, que se estenderam por exatas 30 sessões e “trancou” a pauta da Câmara dos Deputados desde outubro do ano passado, veio a tão esperada aprovação do texto legal no último dia 25 de março de 2014.
Porém, alguns possíveis desdobramentos da legislação já criaram desafios e oportunidades para diversas empresas de internet. Explico!
O questionamento que dá origem ao título deste artigo se encontra ancorado na subseção III do texto aprovado que vai do artigo 15 ao 17. Segundo o texto, às empresa de acesso, fica vedada a utilização do conteúdo das informações produzidas pelos usuários na rede para fins comerciais.
O supra narrado constitui uma das principais fontes de receita de empresas como Facebook e Google, que se utilizam destas informações para segmentação de anúncios publicitários. O dispositivo legal não permitirá a formação de bases de clientes para marketing dirigido, ou seja, ficará proibido o monitoramento, filtragem, análise ou fiscalização deste conteúdo, a não ser nos casos previstos na lei.
É sabido que agora o texto legal segue o processo legislativo rumo ao Senado e ao veto presidencial. Porém deixo com o caro leitor o questionamento sobre os novos desafios e oportunidades mercadológicas criadas pela aprovação da “Constituição da Internet Brasileira”.
Marco Antonnio Badia é diretor de mídias sociais na agência MKT Comunicação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMogi das Cruzes tem 1,2 mil vagas
Próximo artigoCama, mesa e banho