O papel dos sistemas de gestão

0
11
Autor: Samuel Gonsales
Dentre as questões mais importantes do e-commerce é preciso destacar o planejamento e gerenciamento das compras, haja vista que uma das características mais contundentes do e-commerce é fato das lojas virtuais terem grande diversidade de itens que precisam ser administrados no que diz respeito à faltas e reposição. Para um bom planejamento e gerenciamento de compras é fundamental que as empresas de e-commerce contem com bons sistemas de gestão, que ofereçam avançadas e consistentes ferramentas de gestão de compras, que possuam módulos específicos para apoio ao planejamento de demanda e que ofereçam metodologias específicas para reposição de produtos sazonais e modelos de reposição contínua, garantindo o produto certo na hora certa.
Infelizmente, durante a última década, os sistemas de gestão que se dizem especializados no e-commerce deram muito mais atenção e prestígio às integrações com as plataformas do que ao planejamento e gerenciamento das organizações e, com isso, é fácil encontrar grandes e densas operações de e-commerce que para planejar e gerenciar suas compras utilizam relatórios básicos, antigos e ineficientes, ao invés de possuir processos de planejamento e gestão consistentes e assertivos. Também não é difícil encontrar complexas operações de e-commerce tendo que emitir diversos relatórios de seu ERP / Back Office e consolidar informações em planilhas eletrônicas para planejar o abastecimento, o que beira ao absurdo se levarmos em conta que os fornecedores de sistemas de gestão deveriam estar focados em ajudar seus clientes a ter operações mais eficientes.
É diante desse cenário que vem à tona a necessidade de fornecedores de sistemas de gestão pensados para o e-commerce se preocuparem com o planejamento e a gestão das compras e oferecerem em seus ERPs / Back Offices consagradas técnicas, como: Gestão de categorias; Análise de giro e cobertura; Cobertura variável; Previsão de demanda; OTB – Open To Buy Planning; GMROI – Gross Margin / Return on Investment; Calendário de varejo 454, dentre outras técnicas que podem tornar a operação das empresas de e-commerce mais eficiente.
Os fornecedores de sistemas de gestão pensados para e-commerce (ERP´s /Back Offices) devem ainda se preocupar em fornecer aos seus clientes funcionalidades que agreguem valor ao negócio, que valorizem a eficiência operacional e que diminuam as chances de erros, deixando de ser tão operacionais e agindo mais na esfera tática e estratégica. Algumas das boas práticas restantes que precisam ser analisadas pelas empresas antes de contratar um sistema de gestão focado em e-commerce, são:
– O ERP / Back Office oferece possibilidades de gerar requisições ou pedidos automaticamente, tendo como base a análise das demandas;
– O ERP / Back Office permite o acompanhamento das atividades do departamento de compras de sua empresa, gerenciamento os budgets de cada um dos compradores, bem como e eficiência de cada um;
– O ERP / Back Office suporta nativamente portais de TV com indicadores de desempenho (KPI´s) para medir e demonstrar o que está ocorrendo no negócio online;
– O ERP / Back Office tem funcionalidades avançadas para gerenciar os processos de importação com agrupamentos de embarques e com rateios das despesas acessórias;
– O ERP / Back Office gerencia cotações e e-procurement;
– O ERP / Back Office faz a gestão de orçamentos, suporte diversas moedas e realiza as conversões para as compras internacionais.
Concluindo, é preciso que as empresas de e-commerce compreendam os custos de não planejar e gerenciar consistente e assertivamente suas compras, além dos riscos de perder oportunidades de negócio por não ter sistemas de gestão que ajudem a organização a planejar e gerenciar a organização com vistas ao crescimento e perenidade de seus negócios.
Samuel Gonsales é gerente de produtos da Millennium Network, professor universitário no Grupo CETEC e especialista em sistemas de gestão empresarial e e-commerce.