O prazer do luxo

0
12



Embora a premissa dos clientes de luxo nos países emergentes seja a ostentação, no Brasil o desejo desse público vai um pouco além. De acordo com a pesquisa “Perfil do cliente de luxo no Brasil”, divulgada pela Ipsos em parceria com a Luxury Marketing Council (LMC), na hora das compras os brasileiros se mostram mais preocupados com o bem estar que o produto pode causar do que simplesmente com o status.

 

Karen Cavalcanti, diretora de conta da Ipsos Marketing, explica que não existe um perfil único para os clientes de luxo, pode variar de acordo com cada país. “Todo consumidor reage aos estímulos que recebe do local. Aqui no Brasil, por exemplo, é bem diferente da Índia, a ostentação é um atributo, mas não é o essencial”, afirma.

 

A pesquisa indica que para 77% dos entrevistados, luxo é uma recompensa pessoal e uma maneira de viver com estilo e design, para 71% é puro prazer, além de ser um modo de expressar estilo e personalidade. Os entrevistados também revelaram as expectativas ao adquirir um produto de marca de luxo. As respostas mostram que a qualidade e autenticidade estão em primeiro plano, seguidos por inovação, exclusividade, busca por uma experiência inesquecível e relação especial com a marca.

 

Serviços como hotéis, viagens e restaurantes sofisticados, também foram destacados no estudo com respectivamente 27%, 21% e 19% das citações, ficando à frente de produtos como perfumes e relógios. Segundo Karen, os clientes de luxo brasileiros anseiam por mais que um produto, eles buscam a história por trás da marca, “um sonho, um momento, uma experiência, querem algo para desfrutar”, completa.

 

O estudo também mostra que em alguns casos, os consumidores dão atenção ao país de em que os produtos foram produzidos. O destaque ficou por conta das bebidas alcoólicas (75% dão muita atenção ao país de origem do champagne, 68% dos vinhos e 66% dos destilados), seguidas por automóveis (65%), relógios (60%) e perfumes (58%). Além disso, a pesquisa mostra que para os brasileiros, o luxo é inquestionavelmente europeu. A França permanece como um forte símbolo do luxo, mas países como Suíça, Itália e Alemanha também são muito valorizados.