O que eles procuram?

0
8
As lojas virtuais que utilizam o Twitter para divulgar promoções da Black Friday devem priorizar produtos ligados a entretenimento e tecnologia em suas postagens, de acordo com o estudo de monitoramento de mídias sociais realizado pela iProspect Brasil. O levantamento mostrou que filmes, séries, games, laptops e tablets foram os produtos que mais despertaram o interesse dos internautas brasileiros nas últimas três edições do evento. 
 
Se a versão nacional da Black Friday começou de forma tímida em 2010, atualmente já é um fenômeno do mercado de consumo que não pode mais ser ignorado. Prova disso é a dimensão que o assunto ganhou nas redes sociais como Facebook, Twitter e blogosfera. No ano passado foram mais de 370 mil menções, um incremento de 2.000% em relação a 2010. E, se a repercussão do evento mantiver o mesmo ritmo, é provável que a edição de 2013 seja tema de mais de 1 milhão de postagens nas redes. 
 
“Os grandes varejistas que não aderirem à Black Friday não estarão apenas deixando de vender, mas também perderão uma oportunidade de reforçar o posicionamento da marca e de criar vínculos com os clientes”, afirma Fabio Rowinski, diretor geral da iProspect Brasil. O executivo ainda ressalta que é muito importante que este momento traga uma experiência positiva para o consumidor, caso contrário a repercussão pode trazer prejuízo para a imagem da marca.
 
Ainda de acordo com o estudo, a Black Friday no Brasil também é marcada por um elevado volume de críticas. Desde 2010, as postagens negativas no Twitter se mantiveram estáveis, cerca de 20%. Porém, os elogios apresentaram queda significativa e atualmente representam menos de 5% do total de postagens. 
 
A dificuldade de acessar os websites das empresas participantes, sobrecarregados com a grande demanda de acessos, foi outro aspecto que causou grande insatisfação nos consumidores. Para tentar amenizar o problema, além do natural aumento da capacidade dos seus servidores, uma solução adotada por diversos varejistas foi tentar espalhar o tráfego em um período de tempo maior, seja antecipando o início da promoção em algumas horas ou mesmo transformando a Black Friday em “Black Week”.