Oportunidades do mundo on-line

0
0
Oito em dez usuários ´mass affluent´ de mídias sociais leem conteúdo de empresas, assistem a conteúdo multimídia e seguem instituições financeiras.  Esse é um dos resultados da pesquisa “Influenciado os ´Mass Affluent´”, apresentados durante o FinanceConnect, evento do LinkedIn, em São Paulo, da qual traz informações sobre a oportunidade de uso das redes sociais para instituições financeiras se comunicarem melhor com seu público. 
 
Os ´mass affluent´ representam, no Brasil, uma parcela de pessoas que possuem entre R$ 100 mil a R$ 800 mil de ativos investidos e que possuem uma conta, produto ou política com bancos, empresas de cartão de crédito, corretores, gerentes de ativos, seguradoras de propriedade ou de vida. “No Brasil, 99% desta população utiliza as mídias sociais, sendo que 90% destas pessoas se relacionam com empresas do setor financeiro. Isso revela um enorme potencial para o mercado, pois as redes sociais têm se tornado um dos principais canais de comunicação das pessoas em busca de conteúdo por motivos profissionais”, explica Jennifer Grazel, global head of category development, no LinkedIn. 
 
Dentre o conteúdo mais desejado pelos ´mass affluent´ nas redes sociais de bancos e empresas de cartões de crédito, está a informação sobre novos produtos. “Neste caso, identificamos um gap de 28% e 27%, respectivamente, entre o conteúdo desejado e o que realmente as empresas estão oferecendo aos consumidores”, detalha Jennifer. No caso de Seguradoras, o conteúdo mais desejado é informação sobre mudança de políticas e o gap atual é de 42%. 
 
“É importante salientar que, para este público, as redes sociais são fontes tão confiáveis quanto meios tradicionais de informação financeira. Desta forma, o LinkedIn serve como uma plataforma de comunicação da marca com seus clientes e consumidores e pode acelerar ainda mais a influência das empresas sobre os ´mass affluent´. Basta construir uma base por meio de conteúdo multimídia, posts da empresa ou conteúdo e acelerar a influência por meio da comunicação direta”, conclui Jennifer.