Oracle projeta crescimento de 35% com as vendas de TI

0
1



A Oracle do Brasil apresentou a sua plataforma de soluções de Tecnologia da Informação (TI) para pequenas e médias empresas. O objetivo é ajudar essas empresas a se informatizarrem e ganhar mais competitividade no mercado. “Cerca de 50% das vendas da Oracle, em 2003, foi para as SMBs (Small and Medium Business), isso gerou um crescimento de 7% à companhia. Para este ano, a meta é crescer 35% neste segmento”, afirma Eduardo Lopez, vice-presidente de tecnologia.

Segundo ele, são prioritárias as estratégias de negócios com as SMBs. Além de vendas, a companhia quer alavancar a produção e atendimento a clientes. Eduardo acredita que tais iniciativas ajudam a “criar demandas, gerar novos negócios e aumentar o nível de emprego”. Ele disse ainda que é preciso auxiliar as pequenas e médias empresas na implementação e manutenção dos equipamentos. Possibilitando um alto grau de disponibilidade dos serviços.

A política da Oracle é a de disponibilizar com preços acessiveis às pequenas e médias empresas, oferecendo as mesmas tecnologias utilizadas pelas grandes companhias. “Independentemente do seu tamanho, todo cliente deseja uma infra-estrutura de TI segura e confiável para apoiar seus negócios”, diz Cyro Diehl, vice-presidente de Vendas Indiretas da Oracle do Brasil. “Chegou o momento em que, as empresas de todos os portes podem ter acesso ao mesmo produto que é usado nas grandes organizações”, complementa Fabio Gaia, sócio-diretor da Officer, distribuidora de hardware e software da Oracle.

Opinião sobre a Linux

A Oracle nã apenas recomenda a plataforma Linux para seus clientes, como é usuária de LInux. Além disso, toda a última geração de produtos Oracle. “Linux é uma plataforma de excelente perfomance, com a vantagem de poder ser executada em soluções de hardware não-proprietárias, de baixo custo”, lembra Eduardo, acrescentando que a vantagem de a plataforma dispor de código aberto

O instituto de pesquisa IDC Brasil fez um estudo sobre o mercado brasileiro de Linux. Pelo levantamento, este serviço crescerá 9,62%, até 2007, data em que chegará a cifra de US$ 19 milhões. O maior crescimento no entanto, se dará este ano, os pesquisadores calculam que o Linux atingirá 11, 33% até dezembro. “O Linux, em sua essência, ainda pode ser considerado uma tecnologia nova e, como tal cresce a medida que os fabricantes apoiam e agregam valor à plataforma”, opina Eduardo. O governo é o maior cliente do Linux, dos 11,9 milhões de dólares, que a tecnologia faturou, 36 % veio de compras governamentais.