Palestra no Conip apresenta potencial da NF-e

0
1


Apesar de estar em fase piloto, o Projeto de Nota Fiscal Eletrônica promete um impacto enorme para as empresa brasileiras. Economia de 3% no montante destinado a gestão de notas fiscais. Na opinião de Eudaldo Almeida de Jesus, coordenador geral do ENCAT (Encontro Nacional dos Coordenadores e Admisnitradores Tributários Estaduais) e do Grupo Gestor da NF-e e superintendente de administração tributária – SEFAZ/BA, esse é um dos ingredientes para fazer do projeto um sucesso. O executivo apresentou um retrato da iniciativa na tarde de ontem (27/06), durante o Conip 2006 – Congresso de Informática e Inovação na Gestão Pública.

As cifras motivaram 19 empresas contribuintes a arregaçar as mangas e trabalharem juntas aos Estados para colocar em prática a NF-e, entre elas Wickbold, Eurofarma, Souza Cruz, Gerdau e Volkswagen. “No lugar de impor uma solução, o comitê criou um desafio que está sendo superado por todas as pontas envolvidas”, comemora o coordenador. “Também uniformizou as soluções que estavam sendo desenvolvidas em diferentes estados brasileiros”.

O sucesso da fase pré-operacional é seguida pelo otimismo na adoção e receptividade da NF-e. De acordo com o coordenador, em agosto, algumas das empresas contribuintes já poderão deixar a fase de transição para usar a NF-e em todas as operações fiscais. Também no segundo semestre, uma leva de novas empresas aderem ao projeto. “Existem ao menos 10 mil empresas contribuintes em potencial no País para a NF-e”. O resultado desse interesse vem em números. Segundo o executivo, de 2008 para 2009, apenas em São Paulo, o número de emissões de notas fiscais eletrônicas por mês deve dobrar, pulando de 30 milhões para 60 milhões.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTMS Call Center com novo website
Próximo artigoNewton Neiva Jr.