Para começar 2009 com o pé direito

0
2



Autor: Christian Barbosa

 

Estamos no final do ano e, nesse momento, começam a nascer as famosas promessas de ano novo que acabam nunca sendo cumpridas. O mais engraçado é que a maioria das pessoas já conhece esse ciclo que consiste na empolgação inicial, na definição e depois no completo esquecimento ao longo do ano.

 

O interessante é que isso não acontece apenas na área pessoal, há muitas empresas que caem nesse mesmo ciclo. O problema corporativo não é a estratégia, mas sim a execução das ações prometidas ao longo do ano. Este ano, pelo que pude ouvir de empresários e executivos no Brasil, foi excelente, um ano de oportunidades e crescimento. Claro que a crise econômica mundial que começou a se mostrar a partir de agosto tende a mudar um pouco o cenário, mas mesmo assim foi um período positivo.

 

Em 2009, o cenário ainda está incerto, mas eu defendo que precisamos acreditar e não parar no meio do caminho. Caso contrário, entraremos em um círculo vicioso perigoso. O próximo ano será “diferente”. Se ele vai ser fácil ou difícil, isso vai depender muito de como você irá enfrentá-lo. Minha sugestão é deixar o medo de lado e trazer o otimismo à tona. Por aqui vou fazer minha parte com nosso plano estratégico, vamos aumentar nossa equipe, investir em novos mercados e mídias, além do lançamento de novos produtos. Eu prefiro definir o que quero ao invés de aceitar o que vier, ao longo do trajeto vamos afinando as rotas para chegar sem turbulência.

 

Ano que vem será o ano da produtividade: seja na vida pessoal ou corporativa, todo mundo vai precisar fazer mais com menos, ter foco no importante e fazer a execução acontecer! Por isso, não deixe 2009 ser uma cópia mal feita de 2008, sugiro que aproveite essa época, reserve uma hora e faça um planejamento do seu ano.

 

Revise o que é importante para você, ano que vem precisará de foco e não de perda de tempo à toa. Para isso, você deve ter clareza e responder as seguintes questões: Que atividades eu devo focar em 2009 e quais eu devo abortar? Faça uma lista de “Foco” e outra de “Stops”. Depois de concluída, faça uma lista de prioridades por ordem de importância. Olhe para os cinco primeiros itens e detalhe um plano de ação na sua agenda, é a segunda parte do planejamento, para que você possa organizar e deixar claro todos os seus planos.

 

É importante que escreva uma ou duas metas, o melhor é focar em poucos objetivos ao longo do ano, que sejam relevantes e viáveis. Como roteiro, pense exatamente o que você quer e defina qual é esse desejo, pense em indicadores (quanto preciso investir) e em uma lista de ações práticas e de curta duração, crie pontos de controle a cada bimestre, agende uma reunião de uma hora com você mesmo para revisar seus planos, suas metas, seus “Focos” e “Stops”. Isso evita que a promessa caia em desuso ao longo da execução.

 

Para seguir o planejamento, compartilhe seus objetivos com alguém de confiança, escolha uma pessoa próxima, que ajude você a manter o nível de certeza, motivação e que o questione. Pode ser um coach profissional ou mesmo aquele amigo chato que faz você pensar na vida. E para finalizar, coloque você nos seus planos o ano inteiro, quanto mais tempo para você, mais energia para executar suas metas. Inclua atividades de lazer, esporte, ócio ou qualquer outra coisa que o faça “recarregar as baterias” com uma periodicidade quinzenal.

 

Já que muitas pessoas andam falando que ano que vem é “dois mil é inove”, não se esqueça de fazer uma grande inovação: planejar, manter e executar as promessas de fim de ano. A frase do ano será: Quando há medo, se criam muros. Quando há esperança se criam pontes.

 

Christian Barbosa é sócio da Triad e especialista em gerenciamento do tempo e produtividade pessoal e empresarial.