Parceiro único

0
4




 

A Tivit tem o portfólio organizado em três áreas de negócios: infraestrutura de TI, sistemas de aplicativos e BPO. Isso proporciona à empresa contar com o que há de mais avançado na área de negócios de BPO, de acordo com Marco Antonio Theodoro, diretor comercial de BPO da Tivit. “A empresa sempre se diferenciou ao se especializar em operações complexas, críticas e de larga escala. A robustez de operações de back office e cobrança da companhia são exemplos disso”, afirma.

 

ClienteSA – Há quanto tempo a empresa oferta BPO ao mercado?

Marco Antonio Theodoro: A Tivit possui ofertas neste segmento há mais de dez anos e está sempre atualizando seu portfólio de soluções para atender e antecipar as necessidades de seus clientes. A Tivit também foi a primeira a perceber a receptividade de seus clientes à ideia de gerir apenas um parceiro para serviços de infraestrutura de TI, sistemas aplicativos e BPO. Em 2007, apenas dois dos 10 maiores clientes da empresa utilizam serviços de mais de uma dessas áreas de negócios. Em 2009, sete dentre os 10 maiores clientes já usufruíam das vantagens em gerir um único parceiro para mais de uma dessas áreas.

 

ClienteSA – Qual é o impacto do BPO no seu portfólio?
Theodoro: Em 2009, BPO representou 55,7% da receita líquida da empresa. No primeiro trimestre de 2010, as receitas líquidas de BPO representaram 57,3% da empresa. A receita líquida de BPO de R$ 133,4 milhões no período representou um aumento de 6,4% em referência aos R$ 125,4 milhões do primeiro trimestre de 2009.

 

ClienteSA – Ainda há restrições ou as empresas hoje já estão preparadas para adoção de uma estratégia de BPO?

Theodoro: A necessidade das empresas por um gerenciamento intensivo de custos para se manterem competitivas tem se intensificado, fazendo com que as empresas elevem de maneira estratégica o grau de terceirização das atividades. Os serviços de BPO representam uma importante área de crescimento no mercado de terceirização, dado que a demanda de clientes por serviços estratégicos cresce em detrimento da demanda por serviços de terceirização focados unicamente em redução de custos. Por isso, acredito que este cenário já mudou muito, principalmente quando se trabalha com grandes empresas do mercado, que geralmente possuem modelos de terceirização mais maduros.

 

ClienteSA – Qual é a estratégia de adoção de BPO para as empresas obterem melhores resultados?

Theodoro: Os serviços de BPO estão sempre ligados à estratégia de negócios do cliente, por isso, um dos pontos importantes a ser avaliado é a capacidade de entendimento do negócio que o futuro parceiro possui. Também é importante considerar a capacidade do provedor do serviço em acompanhar a sazonalidade e o crescimento do negócio com agilidade, segurança e confiabilidade. Além disso, é importante medir resultados tangíveis, verificados por meio da redução de custos, aumento da eficiência de processos e melhoria no nível de serviços.

 

Cliente SA – De que setores são seus principais clientes?

Theodoro: Os segmentos de bancos e seguradoras representaram 34,4% da receita líquida total no primeiro trimestre de 2010. O segmento de cartão de crédito e meios de pagamentos respondeu por 27,6% do período. O setor de concessionárias de serviços públicos teve participação de 16,5%. Vale lembrar que esses números consideram a receita líquida total da Tivit no primeiro trimestre de 2010.

 

ClienteSA – Quais serão as grandes tendências em BPO?

Theodoro: Para este ano, a companhia continuará atuando fortemente em operações de BPO sem voz, a partir de processos de back office. No caso de cobrança, por exemplo, os serviços de back office permitem uma perfeita triagem e o tratamento de toda cadeia de documentação de cada cliente. Entre as tendências de serviços para 2010, a empresa também foca em uma solução de gateway de pagamento, desenvolvido pela torre de sistemas aplicativos da Tivit. Trata-se de uma plataforma para integração e processamento de transações de pagamento, por meio de uma interface única de comunicação. A solução permite, ainda, gerenciar em tempo real todas as transações nos mais variados meios de pagamento e formas de cobrança.