PAT completa 30 anos

0
1


O Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) completa 30 anos em abril, beneficiando 8,68 milhões de trabalhadores. Nos últimos dez anos, o número de pessoas que recebem os benefícios de refeição ou alimentação-convênio cresceu 42,43%, de 3,48 milhões em 1996, para 4,96 milhões no ano passado. Apesar disso, a maior parte das 132 mil empresas que participam do programa está muito concentrada em duas regiões brasileiras: no Sudeste, com 66,6%; e no Sul, com 20,77%. E, segundo dados do PAT, a adesão às facilidades é de apenas 3,8% nas pequenas empresas (até 50 funcionários).

O investimento realizado pelas empresas com os benefícios do PAT tem retorno. Se a companhia estiver inscrita no PAT, conta com isenção de encargos sociais sobre o valor dos benefícios (refeição ou alimentação) e com incentivo fiscal. Pode deduzir até 4% do Imposto de Renda.

“O PAT é importantíssimo para o nosso País, pois permitiu que mais de 8 milhões de trabalhadores estejam hoje integrados nesta iniciativa, recebendo benefícios de refeição e alimentação das empresas”, afirma o presidente do Grupo VR, Claudio Szajman. Para Szajman, no entanto, há uma parcela expressiva de empresas que poderia não apenas se integrar ao PAT e contar com isenções de encargos sociais e incentivos fiscais, mas também fornecer benefícios essenciais, que comprovadamente aumentam a produtividade dos funcionários, reduzem o absenteísmo e a rotatividade.

“Há um imenso mercado de empresas e colaboradores que ainda não se beneficiam das vantagens do PAT”, afirma Claudio Szajman. Das empresas que fornecem refeição-convênio, 50% são grandes (com mais de 400 funcionários), 40%, médias (de 100 a 400 funcionários), 41% são de pequeno porte (de 10 a 100) e 28%, microempresas.

Szajman diz que, para chegar a esse imenso mercado, o Grupo VR está ampliando os canais de venda dos benefícios da empresa. “Fechamos importantes parcerias para oferecer benefícios em ampla escala, como no caso da Associação Comercial de São Paulo e da Amcham-SP. Em breve, vamos anunciar outros acordos de peso”, informa. A estratégia de ampliar os canais de venda, a estimativa de aumento de 10% da massa salarial e a expansão de 5,3% no emprego formal, com a criação de 1,3 milhão de vagas nos últimos 12 meses, devem trazer um crescimento de no mínimo 10% no faturamento do grupo.