Paulistanos querem comprar mais

0
16
O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) na cidade de São Paulo atingiu 125,4 pontos em fevereiro, subindo 0,5% sobre o apurado em janeiro. Em relação a fevereiro de 2013, no entanto, o indicador da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apresentou recuo expressivo, de 7,5%.
Na comparação mensal, houve recuperação da percepção dos paulistanos sobre o Momento para duráveis, que cresceu 29,5%, ante um recuo de 15,2% em janeiro. Essa inversão de tendência, na avaliação da Federação, ocorreu devido à sensação de oportunidade surgida pelas liquidações de começo de ano. No mês passado, a queda havia sido em razão, principalmente, da gradativa volta das alíquotas originais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis.
Também contribuiu para a alta do ICF o comportamento de dois itens relacionados ao mercado de trabalho: perspectiva profissional, que avançou 2,3%, de janeiro para fevereiro, e emprego atual, que permaneceu relativamente estável, apenas com ligeiro recuo de 0,1%. Todos os demais itens que compõem o indicador tiveram queda em fevereiro frente a janeiro, freando uma ampliação maior que a de 0,5% constatada. Acesso ao crédito, que caiu 1,9%, e renda atual, com recuo de 2,9%, foram as de menor impacto. Já as percepções para nível de consumo atual (-8,2%) e perspectiva de consumo (-8,8%) tiveram importante influência na contenção de uma variação positiva mais robusta do índice.