PeopleSoft tem planos para AL

0
13

Um ano após a aquisição da J.D. Edwards, a PeopleSoft apresenta crescimento significativo na América Latina e Caribe. A região conta com mais de 1100 clientes e continua sendo estratégica para os planos de expansão da corporação. “Estamos expandindo continuamente nossas atividades em toda a região da América Latina e Caribe. Além de novos escritórios e novos profissionais, estamos reforçando as áreas de vendas, consultoria e de atendimento ao cliente”, afirma Enrique Perezyera, Vice-Presidente Sênior da PeopleSoft América Latina e Caribe.
Nesse período, a infra-estrutura da PeopleSoft na América Latina ganhou um nova subsidiária em Porto Rico, responsável pelo atendimento do Caribe, e, em breve, abrirá um novo escritório na cidade de Guadalajara (México), para atender a costa oeste desse país. A subsidiária brasileira também cresceu e mudou-se para um dos mais modernos edifícios da cidade de São Paulo. Em breve, será a vez de Miami inaugurar um novo escritório, dotado de uma infra-estrutura mais moderna
para servir melhor seus clientes da região da América Central, Caribe e Andino.
No Cone Sul, a PeopleSoft investiu na criação de um Laboratório de Implementações Aceleradas, na cidade de Buenos Aires (Argentina), onde já funciona o Laboratório de Suporte. Essa iniciativa inclui, também, o crescimento de recursos para Produtos & Tecnologia, com o objetivo de localização das soluções da PeopleSoft não apenas para a América Latina e Caribe, bem como para o Leste Europeu, incluindo países como Polônia e Rússia.
O novo laboratório contará com cerca de 30 profissionais e, alinhado com a estratégia global de Total Ownership Experience da PeopleSoft, pretende fornecer aos clientes uma oferta cada vez mais localizada para atender às necessidades específicas de cada mercado, brindando os clientes de uma nova experiência com a implementação, uso e manutenção de seus aplicativos.

PeopleSoft que atingir o setor do governo

Uma das prioridades da PeopleSoft na América Latina é o setor de Governo. A empresa, recentemente, fechou o maior contrato de toda sua história com o Serviço de Administração Tributária (SAT) do México e pretende expandir essa experiência para todos os países da região. O contrato com o Governo do México, que inclui software e serviços profissionais, está avaliado em US$ 50 milhões. No Brasil, por exemplo, a empresa está ampliando a atuação de seu escritório de Brasília e contratou um executivo especialmente para esse segmento. “Estamos comprometidos em auxiliar os Governos da América Latina e Caribe a tornar seus serviços mais ágeis e contribuir para uma maior eficiência e transparência na administração pública”, afirmou Perezyera.
Para intensificar sua atuação no middle market, a PeopleSoft da América Latina acaba de contratar Oscar Peña como Diretor de Canais. O executivo será responsável por fortalecer ainda mais o compromisso da PeopleSoft com as empresas de médio porte da região.

Conquistar novos clientes

No primeiro semestre desse ano, a região da América Latina e Caribe contribuiu significativamente com os resultados da corporação. Foram vários novos clientes conquistados nas três linhas de produtos. O Brasil fechou um dos maiores contratos do mercado nacional de CRM com o ABN Amro Banco Real. Entre os clientes novos estão Porto Seguro, Minas Goiás, Farmed e Novex. Novos projetos tiveram início também na Kraft Foods, Phibro, Electrolux, BR Distribuidora, entre outras.
A região da América Central e Caribe Andino conquistou vários clientes novos como Cititrust, Point Lisas, Marval, Urban Development Corporation, Triada e Taurel. No México, além do contrato da SAT, foram conquistados clientes como Pinturas Berel, TBC do Mexico, Grupo Phoenix e Telvista. Novos projetos foram iniciados com Nissan do Mexico e IMSS (Instituto Mexicano de Seguro Social). No Cone Sul, PeopleSoft iniciou novos projetos com COTO (Argentina), Telecom (Argentina), Pacifico Seguros (Peru) e BGH (Argentina).
“Esse crescimento indica que muitas organizações da América Latina estão entendendo que a competitividade exige aplicações empresariais e como esses software podem auxiliá-las a se tornarem mais eficientes e mais estratégicas”, afirmou Darren Ware, Analista de Software Sênior e de Pesquisas para a IDC da América Latina