Pesquisa avalia mercado de benefícios

0
22

A empresa de consultoria Mackenzie Junior apresentou ao Grupo Planinvesti uma pesquisa que avalia o uso e aceitação de benefícios na cidade de São Paulo. Os resultados mostraram que 91,29% dos estabelecimentos aceitam vale refeição, e quase metade dos clientes é de classe média. Foi constatado que a maioria gasta de 15 a 25 reais por refeição. Os entrevistados revelaram que o principal motivo para se tornarem credenciados a receber algum tipo de vale é a demanda. Outro número apresentado na pesquisa foi que 74% dos estabelecimentos acreditam que há espaço para crescimento do mercado de vale refeição.
A pesquisa também apresentou algumas particularidades na análise por zona. A maior aceitação (100%) acontece nas zonas norte e leste, e a menor na zona oeste (75%), onde 66% dos clientes são de classe média. Na zona norte, apesar da aceitação de 100%, a utilização dos vales é considerada baixa pela maioria dos estabelecimentos.
Em relação ao vale eletrônico, menos utilizado em toda a cidade, os entrevistados não demonstram disposição para gastos com instalação de máquinas, especialmente na zona norte, embora compreendam que seja um sistema mais seguro. Nas zonas oeste e leste, eles pedem treinamento para identificar vales falsos. Os estabelecimentos da zona leste constatam que o uso de contra-vales inibe uma parcela de clientes em potencial.
Avaliando as micros e pequenas empresas dos setores comercial, industrial e de serviços, a pesquisa revelou que 37% delas possuem até 5 funcionários, e 32% até 10. Quanto aos benefícios, 76% oferecem algum tipo ao funcionário, sendo a maioria em transporte, alimentação e saúde, respectivamente.
Dos que oferecem benefício em alimentação, a maioria disponibiliza cesta de alimentos, enquanto 18,40% fornece vale refeição. Pouco mais da metade das empresas tem interesse em utilizar algum benefício futuramente. Aceitação e preço são os principais fatores que interessam a uma empresa para contratar um sistema de vale refeição/alimentação.
O setor comercial é o que apresenta o menor quadro de funcionários, e é, também, o que tem menos interesse em adotar algum tipo de benefício no futuro. O industrial é o que mais oferece benefícios, enquanto o de serviços é o que mais utiliza vale refeição. Para as indústrias, qualidade e preço é o mais importante ao contratar serviços de vales. Para o comércio e serviços, é a aceitação que determina o vínculo.