Pesquisa revela comportamento do consumidor

0
2

Cerca de 75,5% dos consumidores que compraram carros nos últimos 12 meses e moram em uma capital brasileira têm acesso à internet. Entre eles, aqueles que usam a rede para pesquisar preços e modelos têm maior propensão para comprar automóveis de valor mais elevado. São alguns resultados da pesquisa do Ibope/NetRatings, encomendada pela WebMotors, que busca descobrir os hábitos dos compradores de veículos e a utilização da internet no processo de compra. A pesquisa foi realizada em 2003, com 5.253 pessoas entrevistadas nas 26 capitais, mais o Distrito Federal.
“Esta pesquisa vai ajudar as empresas do segmento automotivo, ou seja, montadoras, concessionárias, lojas autorizadas e prestadores de serviços, a conhecerem melhor o consumidor de carros no Brasil. Dados como estes são de extrema importância para que possam avaliar o mercado de internet e sua participação na decisão final de compra de um automóvel”, acredita José Eduardo Ferreira, vice-presidente da WebMotors.
Segundo os dados da pesquisa, dos 778.858 usuários que utilizaram a internet no processo de compra do veículo, 67,68% o fizeram para consultar preço, 45,45% os modelos disponíveis e 37,37% os equipamentos. A maioria dos que compraram carros em concessionárias ou em lojas de multimarcas usou a internet para pesquisar modelos e preços. Dentro deste cenário, a WebMotors é o site mais lembrado pelos internautas quando o assunto é carro e aparece na frente das lojas virtuais da Fiat e Vendoautos, com 24,14% da preferência contra 6,90% dos demais sites.
Por outro lado, entre 35% e 40% dos consumidores masculinos que não efetivaram a compra pela internet não o fizeram por gostar de ver o carro na loja antes de comprar. Os homens ainda são os que mais recebem informações sobre veículos por meio da internet, com 23,07% contra 11,54% da presença feminina. Em compensação, as mulheres compram mais carros novos, com 55% contra 35% do sexo oposto.
“O uso da internet no processo de decisão de compra de automóveis já é elevado no Brasil e tem espaço para aumentar ainda mais caso a economia volte a crescer de forma sustentada”, afirma Marcelo Coutinho, diretor de serviços de análise do Ibope NetRatings. “Cerca de 1,4 milhões de brasileiros visitaram sites automotivos em março, o equivalente a 12% do total de usuários brasileiros, contra 29 milhões de americanos, o equivalente a 20% dos usuários domésticos daquele país. Em termos percentuais, estamos próximos da França e já superamos Espanha e Itália”, observa Coutinho.
Embora em menor número, o usuário brasileiro que visita os sites da categoria é altamente sofisticado. No Webmotors, por exemplo, cerca de 70% dos visitantes utiliza banda larga, um dos percentuais mais altos do Brasil, de acordo com o último relatório de Banda Larga do Ibope. O relatório do Ibope revela que a possibilidade de consultar preço e modelo do veículo na internet atrai o usuário. Quem tem acesso ou usou a web no processo de compra adquiriu carros novos e de maior valor e só a gasolina.
Os resultados da pesquisa foram captados por telefone durante um ano, junto a 5.253 pessoas que vivem nas capitais. Houve fiscalização em aproximadamente 20% dos questionários, com margens de erros de, no máximo, 4,9%. As entrevistas foram realizadas com a utilização de um questionário elaborado de acordo com os objetivos da pesquisa, e por uma equipe de entrevistadores treinada para abordagem baseada no perfil do público-alvo.