Ponto para todos…

0
3
Geralmente, o amor que uma pessoa sente por um time ou esporte é uma herança familiar. Além das lembranças, muitos possuem a camisa, um chaveiro, entre outros souveniers. Às vezes, até uma carteira de sócio torcedor. Fato é que esse admirador nato é o sonho de consumo de muitas empresas, exatamente por seu amor, fidelidade e engajamento com o alvo de sua paixão. E os clubes que conseguem aproveitar isso, podem dar uma aula a diversos empresários, sabendo harmonizar o foco entre o torcedor/clientes e o elo que os une: o time. Dessa forma, Marina Ivete Miotto Silva, supervisora de vôlei feminino do São Cristovão Saúde/São Caetano, ensina que é importante estar em contato com os torcedores em todos os pontos de contato, pois isto gera visibilidade. No caso, do time vale tanto no ginásio, quanto nas redes sociais.
Esse cuidado com o torcedor também é uma forma de não correr o risco de perdê-lo. “A equipe busca atender a todos os torcedores da melhor maneira possível, seja para tirar fotos com as jogadoras, pedidos de autógrafos, camisas, entre outros. Sempre buscamos atender a todos, pois sabemos da importância de cada torcedor para o time e nós buscamos tratá-lo como parte da nossa família, demonstrando que precisamos dele nos jogos para apoiar o time”, comenta a supervisora. Com isto, fica claro para o torcedor que o seu engajamento é apreciado e pode ser recompensado com brindes dos patrocinadores que, afinal, também é um apoiador da equipe, criando um ciclo de ganho para todos, conforme explica Marina.
Ainda dentro disso, a supervisora acrescenta que, em todos os jogos do São Cristovão Saúde/São Caetano na Superliga, há um animador de torcida que distribui brindes do patrocinador por meio de brincadeiras, além de sortear camisas oficiais e bolas autografadas pelas jogadoras. “Essas estratégias estão ajudando para fidelização dos torcedores e atraindo cada vez mais público para os jogos”, exemplifica Marina, demonstrando que existem estratégias para a fidelização de torcedores e que, nem sempre, estas precisam ser invasivas ou inadequadas – algo que, trazendo para o mundo dos negócios, só demonstra o desespero da empresa. “É importante a fidelidade que ele dedica ao time e o amor ao esporte. Quando se torna cliente do nosso patrocinador é uma forma de também apoiar o time”, conclui.