Por dentro da mente do cliente

0
18



Ainda pouco utilizado pelas empresas, o neuromarketing vem aos poucos tendo sua aplicação ampliada. Ainda muito ligada à área de vendas, sua utilização vai mais além. De forma objetiva e com rigor científico, as ferramentas neurocientíficas possibilitam uma nova dimensão de compreensão das motivações implícitas do comportamento do consumidor. “Neste contexto o neuromarketing contribui para a formação de melhores estratégias focada no cliente”, revela Billy Nascimento, CEO da Forebrain, empresa especializada em neuromarketing que nasceu na Incubadora de Empresas da Coppe/UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

O executivo explica, em entrevista exclusiva à ClienteSA, que por meio de indicadores neuro-psico-fisiológicos, como a atividade elétrica e metabólica do cérebro, a ativação de músculos faciais, os batimentos cardíacos, a sudorese da pele, dentre outros, a pesquisa em neuromarketing consegue detectar os reais efeitos provocados por produtos, peças publicitárias, logomarcas, embalagens, e até mesmo pelo atendimento. São reações biológicas que estão intimamente ligadas ao comportamento, desejos e necessidades.

 

Dessa forma, Nascimento reforça que as empresas que desenvolvem novas ações para melhorar o atendimento do cliente e a prestação do serviço podem utilizar as pesquisas de neuromarketing para entender se as implementações estão causando um maior conforto e satisfação com o cliente, mensurando as reações emocionais e afetivas. “As neurociências podem fornecer um arcabouço teórico e uma metodologia baseada em métricas de desempenho das reações dos clientes. O atendimento pode ser analisado utilizando os mesmos parâmetros que analisam as respostas emocionais e cognitivas de consumidores quando expostos a estímulos de marketing”, esclarece.

 

Entre as vantagens desse modelo de pesquisa, o CEO da Forebrain conta que as pesquisas de mercado convencionais como as entrevistas pessoais e grupos focais conseguem extrair somente informações explícitas dos entrevistados, ou seja, aquilo que está sob o controle verbal. “Essas pesquisas geram informações relevantes para o gestor de marketing, porém são susceptíveis a recorrência de vieses sociais e culturais. O neuromarketing complementa ao oferecer um método experimental de pesquisa cuja principal vantagem é compreender de maneira objetiva as reações emocionais”, comenta Nascimento.

 

O executivo também destaca outras vantagens:

– Metodologia com forte embasamento científico

– Permite aprimorar serviços e produtos antes de levá-los ao mercado

– Evita o desperdício de verba com ações falhas

– Desvenda motivações implícitas dos consumidores

– Vence a subjetividade com resultados objetivos, sem vieses

– Consegue estabelecer indicadores objetivos sobre a reação do consumidor no que tange a: Emoção, Engajamento, Atenção, Memória, Predisposição à aproximação, Percepção, Empatia, Estresse, Bem-estar e Intensidade

– Ciência emergente, com alto teor de inovação tecnológica

– Possibilidade de gerar vantagens competitivas