Porque as empresas devem ter blog

0
1



Autor: Diego Monteiro

 

A “febre” das mídias sociais contagiou boa parte das empresas. Em consequência, elas passaram a buscar desesperadamente a solução para seus negócios em algumas ferramentas da moda, como Twitter e Facebook, esquecendo, muitas vezes, da importância de ter um blog próprio.

 

Entretanto, antes de começar a falar sobre os motivos que devem levar as empresas a criarem seus blogs é necessário alertá-las das razões pelas quais elas não devem criá-los. Se a ideia é ter milhares de visitas/dia, centenas de assinantes e gerar inúmeros leads através do blog, não invista nesse canal. A comunicação através das redes sociais e, principalmente, dos blogs não tem esse objetivo e, sem dúvida, será um erro desastroso para o sucesso da marca no ambiente digital.

 

Por outro lado, se a ideia é se relacionar com o público, ter uma comunicação de duas vias com ele (que significa falar e estar disposto a ouvir) e gerar evangelizadores, então vamos apontar as vantagens de se ter um blog corporativo.

 

O formato dos conteúdos é outro ponto importante para justificar a criação desse canal. Diferente das outras mídias sociais, em um blog não há limite de caracteres. Isso possibilita que as mensagens da empresa sejam mais aprofundadas. Além disso, com o link dessas postagens, o conteúdo pode ser divulgado em outras redes sociais, com tamanho de textos pré-definidos, como é o caso do Twitter, e que por esse motivo acabam limitando a dimensão da comunicação.

 

O poder de mensuração é também uma razão para que as companhias invistam em blogs próprios. Apesar das centenas de ferramentas de análise, ainda não há nada que substitua um sistema de Web Analytics instalado no blog. Por meio dele é possível saber, com maior precisão, quais assuntos geraram mais interesse dos visitantes, qual foi a origem desses usuários, quais foram os passos dele no ambiente virtual, enfim, descobrir detalhes que podem influenciar no sucesso dos negócios. Nesse caso, o blog pode se tornar o centro de gestão de indicadores nas redes sociais para as empresas.

 

Apesar da penetração dos canais mais atuais, indiscutível na atualidade, o público com mais de 40 anos ainda não aderiu totalmente suas funcionalidades. Entretanto, os blogs são similares às páginas básicas da internet e aos sites corporativos, servindo também como uma porta de relacionamento com essa fatia da população.

 

A última razão que defendo para que as empresas criem blogs é pelo fato de que elas podem ganhar visibilidade nos resultados dos sites de busca da internet (Google e Bing, por exemplo). Isso porque o blog é linkado por outros sites (o que aumenta a chance de aparecer entre os primeiros resultados) e a própria estrutura do canal facilita a inserção nessas ferramentas da web.

 

Entendido os benefícios, vamos falar sobre a forma de trabalho em um blog. No blog corporativo não é a empresa que está falando e sim as pessoas da empresa. Elas podem ponderar sobre experiências que tiveram no seu negócio que comprovem o seu sucesso, mostrar a posição da empresa sobre algum tipo de postura no mercado, conversar com o público através dos comentários e, dessa forma, aproximar a empresa dele. É assim que surgem os evangelizadores da marca, aqueles que vão levá-la aonde forem, sem que você precise pagar nada por isso.

 

É muito comum, em outros países, os próprios líderes postarem conteúdos nos blogs. Esses executivos falam abertamente sobre as diretrizes da empresa, ações realizadas e também sobre assuntos relacionados apenas com o mercado. Além de dar credibilidade, é mais uma forma de aproximar o consumidor da marca.

 

Para finalizar, destaco uma regra fundamental para quem busca ter sucesso no meio digital: um blog não deve ser usado para fazer propaganda de produtos ou para elencar os benefícios que o consumidor terá se escolher a sua empresa. A ideia central é se relacionar. Dessa forma, os resultados serão mais positivos do que os alcançados através dos meios tradicionais. Aproveite!

 

Diego Monteiro é consultor de redes sociais da Direct Labs.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDireitos do consumidor
Próximo artigoOs anseios dos clientes