Prefeitura e Telesp Celular fecham acordo para construção de Telecentros

0
1

A Prefeitura de São Paulo fecha acordo com a Telesp Celular, empresa do Grupo Portugal Telecom, para a criação de mais três Telecentros, locais dotados de computadores e internet com cursos gratuitos de informática básica e para uso livre da população. A Telesp Celular assina o Protocolo por meio do Instituto Brasil Digital – IBD, organização não governamental criada pela empresa com o objetivo de contribuir para desenvolvimento humano e social.

Os Telecentros serão erguidos em terrenos cedidos pela Prefeitura, nas regiões da Penha (zona leste) – unidade que já se encontra em construção – do Campo Limpo (zona sul) e no Largo do Arouche (Centro). Os dois primeiros seguem o perfil da maioria dos Telecentros da cidade, que são instalados em áreas periféricas de grande exclusão social. Já o do Largo do Arouche, assim como o da Sé (no bairro da liberdade), é um Telecentro de passagem, para o público em geral.

Os projetos arquitetônicos e das instalações foram desenvolvidos pelo Governo Eletrônico, braço da Secretaria Municipal de Comunicação e Informação Social, que também entrará com toda a parte de cabeamento, de comunicação visual e fornecerá os funcionários. Da parte da Telesp Celular, a parceria prevê investimento de R$ 840 mil, que inclui a construção das três unidades, os equipamentos, acessórios e todo o mobiliário, e ainda a revitalização do Largo do Arouche. As três unidades restauradas pela Telesp Celular, que serão entregues no próximo ano, deverão atender mais de 100 mil pessoas por ano. Os novos Telecentros contarão com 20 computadores mais um servidor, conectados à internet por banda larga.

O Telecentro faz parte do programa de Inclusão Digital do Governo Eletrônico, criado pela Prefeitura de São Paulo em janeiro de 2001. Desde então, foram lançadas 20 unidades em prédios públicos reformados e 89 mil pessoas já foram cadastradas. Na semana passada, a Prefeitura inaugurou o primeiro Telecentro com Acessibilidade Total do Brasil, em parceria com o Instituto Efort, entidade sem fins lucrativos que oferece cursos a portadores de deficiências físicas e mentais e a jovens em situação de risco. Foi também a primeira unidade instalada em uma entidade social parceira.

A meta da Prefeitura é totalizar 100 unidades abertas até março de 2003, por meio de outras parcerias com empresas privadas e com entidades sem fins lucrativos, beneficiando, assim, mais 300 mil pessoas. Os usuários também podem navegar na Internet, orientados por monitores especialmente treinados, além de participar de cursos de informática, de oficinas de criação de sites e de jornalismo comunitário.