Rede Bahia agiliza processos com projeto BI

0
4

Com a plataforma de Business Intelligence MicroStrategy7, a Rede Bahia, grupo de comunicação do nordeste com atuação nos segmentos de mídia eletrônica, mídia impressa, TV por assinatura, conteúdo e entretenimento, resolveu problemas de redundâncias e agilizou o processo de decisão. Também, passou a auditar processos internos, inclusive do sistema transacional (ERP), padronizando terminologias, reduzindo o tempo de fechamento de análises e liberando o tempo dos executivos.

De acordo com Maurício Garrido, gerente de tecnologia da Rede Bahia, “o projeto democratizou a informação, permitindo novas visões com o cruzamento de dados externos trazendo visão corporativa mais abrangente.” Hoje, o projeto abrange assuntos estratégicos nas áreas comercial, financeira, marketing, operacional e executiva, destacando-se as seguintes análises: Vendas Publicitárias – por origem, segmento em que se inclui receitas de mídia, produção comercial e merchandising; Comerciais – distribuição de vendas por tipo e perfil de clientes, agências publicitárias e setores de mercado, com análises de concentração; e Financeiras – com acompanhamento da geração de caixa, inadimplência e investimentos.

No início, em 1997, a área de TI da Rede Bahia iniciou o desenvolvimento de um sistema de gestão (ERP). Já naquela época, a empresa sentia necessidade de ferramenta de EIS (Executive Information System); porém, devido ao tipo de arquitetura ERP utilizada, que imprimia enorme complexidade na obtenção das informações e oferecia interface pouco intuitiva para os gestores, o grau de aderência por parte dos executivos foi pequeno. Além disso, o desenvolvimento cada vez maior de consultas especialistas, como, por exemplo, Perfil de Cliente, com dados cadastrais, liberação financeira, evolução de carteiras, ações comerciais, etc. – tudo isso em uma única tela – passou a gerar altos custos de manutenções e degradava cada vez mais a performance do sistema. ” Pelo fato das consultas não serem amigáveis ou intuitivas, acabou-se gerando uma fábrica de exportação de informações, que ainda eram formatadas em planilhas, ocasionando problemas de integridade e segurança dos dados”, explica Garrido.

Finalmente, em maio de 2000, houve um realinhamento do planejamento estratégico, quando se optou por uma ferramenta de BI no auxílio a decisão. Desta vez, as metas foram traçadas pela presidência do grupo, que assumiu o projeto, fazendo com que o trabalho transcendesse a área de TI, passando a ser da Rede Bahia como um todo. Para a escolha da melhor solução, foi gerada uma matriz de análise, em que foram definidos os principais pontos para a escolha da ferramenta. Nesta etapa, foram avaliadas plataformas das quatro maiores empresas de BI em termos de participação de mercado e base instalada e a Plataforma MicroStrategy foi escolhida por oferecer maior segurança e permitir sua utilização 100% em ambiente web.