Se adequando às regras do mundo digital

0
15



A Vinhasoft Sistemas, provedora de soluções em tecnologia de informação, integrou em seu ERP, Sistema de Gestão Integrada, o módulo VSI-PDV, para facilitar a adequação das empresas do varejo às novas regras da legislação, especialmente a obrigatoriedade de transmissão digital das informações às administrações tributárias e aos órgãos fiscalizadores.

 

A gerente comercial da Vinhasoft, Cristiane Khater, explica, em entrevista exclusiva ao portal ClienteSA, que os ERP formam um conjunto de aplicações que permite às empresas automatizar e integrar os processos que envolvem finanças, controles, logística, suprimentos, manufatura, vendas, fiscal e contabilidade, possibilitando o compartilhamento de dados e a uniformização de processos de negócios, além de produzir e utilizar informações em tempo real. “É o mais eficiente sistema, sobretudo, para o cumprimento das atuais exigências fiscais que envolvem o setor varejista”, garante.

 

O módulo VSI-PDV, agregado ao VSI-Construção e VSI-Gestão, trabalha funções dentro das regras do PAF-ECF, Programa Aplicativo Fiscal – Emissor de Cupom Fiscal, vigente em estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Amazonas, Santa Catarina, entre outros. Algumas delas são: Emissão de Cupons Fiscais (ECF); Documento Auxiliar de Vendas (DAV), que substitui o orçamento ou pedido; e Transferência Eletrônica de Fundos (TEF), para as operações com cartões de crédito. “O PDV atende à obrigatoriedade da legislação que regula a venda no varejo além de facilitar o trabalho dos operadores de caixa”, informa a executiva.

 

Com a implantação do módulo, a Vinhasoft tem por objetivo beneficiar o cliente, gerando mais agilidade para o atendimento. “Para facilitar o trabalho do operador de caixa, o VSI-PDV pode ser integrado aos leitores de cheque e de código de barras, balanças e aos pinpads de cartões de crédito, o que garante agilidade e oferece todo o controle necessário, para que os operadores e vendedores dêem um atendimento rápido e eficiente aos clientes, sem, entretanto, deixar de cumprir as exigências fiscais a que estão obrigados”, destaca a gerente.

 

A ideia é permitir que o empresário, seguro do cumprimento das obrigações fiscais e tributárias, foque no bom atendimento ao cliente e na competitividade do negócio. “Com a competitividade cada vez mais acirrada no mundo empresarial, o lojista precisa ter disponíveis informações, confiáveis, em tempo real, para auxiliá-lo no processo de tomada de decisões. Decidir em prol de seu cliente. Decidir pelo melhor para sua empresa. Decidir por uma compra. Acertar imediatamente um problema de entrega”, resume Cristiane.