Segmento de audioconferência cresce no Brasil

0
0

Os avanços registrados no setor de telecomunicações, somados à insegurança das grandes cidades, fizeram brotar no Brasil novo segmento de mercado: o de serviços em audioconferência. Trata-se da realização de reuniões por telefone, envolvendo grupos formados por centenas de pessoas, a partir de vários lugares do mundo.

Diferente da videoconferência, que exige o deslocamento dos participantes para salas com capacidade máxima de 12 pessoas, em horários pré-estabelecidos e reserva de locais com pelo menos uma semana de antecedência – visando a checagem de detalhes técnicos -, a audioconferência é realizada exclusivamente por telefone. Pode ser viabilizada rapidamente. Seus participantes podem falar de qualquer lugar do mundo em que haja aparelho de telefone – celular, hotel, telefone público, etc. Além da relação custo benefício, que num comparativo simples favorece sem precedentes à audioconferência.

Nos Estados Unidos, os negócios de audioconferência movimentam bilhões de dólares anualmente. No Brasil, ainda não há parâmetros que permitam dimensionar esse mercado. Contudo, uma empresa nacional que oferece serviços na área, a Conference Call do Brasil, estima crescimento de 100% este ano.

Criada há dois anos pelos executivos Christopher Potter e Steven Woolf, ambos de origem britânica, a empresa já mantém carteira da ordem de 300 clientes cadastrados – metade disso em franca atividade. Warner Lambert, Varig, Tendências Consultoria; grandes bancos e outras multinacionais são alguns deles.

Segundo Potter, um dos sócios, os negócios em audioconferência ainda crescem devido à política de redução de custos empreendida hoje na maioria das empresas, que estão cortando custos de viagens, hospedagem e alimentação, por exemplo. “A soma desses fatores está levando as pessoas a usar mais e melhor os recursos de telefonia, dentro dos quais a audioconferência”, salienta.

Steven Woolf, o outro sócio da Conference Call do Brasil, é enfático ao ressaltar a melhora de qualidade dos sistemas de telecomunicações para a viabilidade e crescimento de seu negócio. “Podemos realizar uma reunião, com dezenas de participantes, utilizando um número mínimo de linhas do cliente, evitando o estrangulamento de sua central”, exemplifica Woolf.

O serviço da Conference Call do Brasil tem custo fixo de R$ 0,58 por minuto, para cada ligação normal recebida numa reunião, na versão “Meet Me” – chamadas geradas pelos participantes. Para as reuniões “Dial Out” – chamadas feitas a partir da Ccall do Brasil -, a tarifa varia de acordo com a localidade em que se encontram os participantes. Os recursos do sistema permitem, por exemplo, que cada pessoa possa entrar ou sair da conferência a qualquer momento. “Não é possível alguém entrar numa reunião sem que antes os demais participantes sejam avisados, por meio de um sinal sonoro”, explica Woolf.