Segundo IDC, EDS lidera outsourcing de TI na América Latina

0
13

A EDS é a líder em serviços de terceirização de Tecnologia da Informação na América Latina, de acordo com recente relatório de pesquisa de mercado do IDC (International Data Corporation), que também aponta a empresa como uma das principais fornecedoras de outsourcing no Brasil, ocupando o segundo lugar com 17,3%. Na América Latina, a EDS, que divulgou um faturamento mundial de US$ 21,5 bilhões em 2002, detém, segundo o IDC, 16,4% de market share em outsourcing.
Já, considerando os serviços de TI em nível geral, a empresa aumentou sua participação de 4,7 % da metade de 2001 para 5,5% em 2002, e é agora o segundo maior provedor no mercado latino-americano. No Brasil, a empresa se posiciona em terceiro lugar nos serviços de TI com 5,5% do mercado, apresentando significativa melhoria no desempenho em alguns segmentos específicos da indústria: Sistemas de Informação – mantém a liderança com 27,7% do mercado, contra 25,6% registrados em 2001; Telecomunicações e Mídia – é líder com 11,5% do mercado, em comparação aos 7% de 2001; Manufatura – ocupa o segundo lugar com 8,1%;
Utilities – também em segundo lugar com 11%, em comparação aos 7% de 2001; Grandes Corporações – está na segunda posição com 9,2%, contra 7,6% em 2001.
De acordo com o IDC, o mercado de outsourcing de sistemas da informação, no qual a EDS está na liderança, gerou R$ 1,38 bilhões em 2002 na América Latina, 16% a mais que a média de gastos anuais em serviços de TI. Também conhecidos como full outsourcing ou terceirização total, estes serviços envolvem a transferência do gerenciamento e manutenção para um provedor externo de toda a estrutura de TI da empresa, incluindo aplicativos e infra-estrutura. Assim, da mesma forma que as demais categorias de terceirização, o Instituto prevê, ainda, um forte crescimento nessa área para os próximos anos, no qual os projetos serão orientados cada vez mais à tecnologia e aos processos de negócios.
Até o final de 2003, o IDC espera uma recuperação lenta e gradual para o mercado de serviços de TI, no qual as maiores oportunidades permanecem em soluções de terceirização, business intelligence, ERP, segurança e infra-estrutura. O relatório cita, também, o aumento de demanda por soluções mais simples, que geram alto retorno, redução de custos e melhorias operacionais. O mercado financeiro continua como principal consumidor de TI, merecendo destaque os segmentos de telecomunicações e o de petróleo e gás.