Segurança em redes é prioridade para empresas da AL

0
0

A Cisco Systems divulgou os resultados de pesquisa realizada com diretores de TI latino-americanos. De acordo com o estudo, 79% dos executivos consideram o tema segurança em redes de extrema prioridade ou muito prioritário. Os diretores de TI acreditam também que a maior ameaça para a segurança dos sistemas de informação de suas empresas são os hackers. Do total de executivos consultados, 64% está muito preocupado com as ações dos hackers, enquanto que somente 4% disseram não se preocupar este tema.
Estas são as conclusões do estudo “Atitudes dos Diretores de TI de Empresas Latino-americanas sobre a Internet”, patrocinado pela Cisco Systems e realizado pela firma independente de pesquisas de mercado Kaagan Research Associates. Apesar de aumentar a preocupação com segurança, somente um pequeno percentual do orçamento de TI da empresas é destinado para esta área. Cerca de 47% dos entrevistados investe menos de 10% dos recursos de TI em segurança, enquanto 28% disse que destina entre 11% e 20%. Somente 25 emprega mais de 20% de seu orçamento em segurança.
A pesquisa mostra também que 43% das corporações foram vítimas de vírus;mais de 21% das páginas web sofreram ataques por parte de hackers e 51% dos diretores de TI reconheceram ter enfrentado problemas menores como o uso inadequado dos sistemas de informática (correio eletrônico corporativo ou acesso à Internet) para distribuição de material inadequado. Muitas empresas já contam, conforme revela a pesquisa, com medidas básicas de segurança, que vão desde maior controle dos procedimentos até soluções técnicas como firewalls, códigos de acesso e software antivírus.
A pesquisa, que foi realizada durante os meses de março e abril de 2003, consultou 75 executivos de empresas locais na Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, México e Peru, abrangendo variedade de indústrias. Durante as entrevistas, os especialistas foram consultados sobre diferentes temas de interesse para a indústria de TI, tais como qualidade de serviços de Internet, usos de páginas web corporativas, uso de Internet em ambientes de trabalho, segurança, treinamento e estruturas operacionais da área de TI.