Seminovos e usados em alta no digital

Levantamento aponta que 79% já compraram equipamentos de segunda mão na pandemia

0
1

A pandemia causada pela Covid-19 está impulsionando a compra e venda de eletrônicos seminovos e usados. A conclusão vem de um levantamento da OLX Brasil, que mostrou que 79% dos respondentes já compraram eletrônicos seminovos ou usados; além disso, o online fica com a preferência: 60% afirmam que plataformas digitais são lugares ideais para adquirir os equipamentos.

Para 42%, o celular é o item mais desejado na hora de escolher um usado, seguido de notebook (24%) e videogame (21%). No momento da compra, 47% afirmam que a segurança é o fator mais importante. “A pandemia gerou um aumento do consumo on-line, natural pelo fechamento momentâneo do comércio tradicional. A variedade de modelos, ofertas e preços atrai, mas o consumidor busca ferramentas para estar seguro ao fazer essas transações”, explica Beatriz Soares, gerente de produto da OLX.

Poder ver o produto antes de comprar é o que faz 24% das pessoas se sentirem seguras, seguido de poder encontrar com o vendedor pessoalmente (23%) e poder comprar de pessoas que moram próximo (22%). Para 18%, a segurança está em poder pagar após ver o item e para 13% está em não depender de correios e entrega. O estudo consultou 1.305 pessoas em todo o Brasil entre os dias 17 e 22 de julho de 2020.

Um segundo levantamento, que considerou todas as categorias da plataforma e foi realizado entre 14 e 15 de julho, com 17.457 usuários da plataforma, revelou que 38% fizeram sua primeira compra na OLX depois de maio de 2020. Para 22% dos respondentes, a principal motivação da última compra foram preços mais atraentes na plataforma. Entre os vendedores, 41% começaram a anunciar na plataforma durante a pandemia. Dentre todos que anunciaram neste período, 28% o fizeram para levantar dinheiro para pagar contas e dívidas e 25% para se desfazer de itens parados e ganhar renda extra.

“A crise impacta tanto quem compra quanto quem vende e observamos esse novo fluxo de usuários buscando maneiras acessíveis de atender suas necessidades de consumo ou gerar renda com objetos que estão sem uso em suas casas. Em julho, a OLX registrou um aumento de mais de 20% de usuários ativos na plataforma, em comparação ao período pré-Covid. Na categoria de eletrônicos em particular, esse é um movimento já comum em diversos países do mundo, que ganha ainda mais força agora no Brasil”, finaliza Beatriz.