Siemens inaugura centro de competência

0
2

A Siemens fecha parceria com a Fundação Desembargador Paulo Feitoza e cria o centro de competência para capacitação e qualificação dos seus colaboradores. O centro, que será inaugurado no dia 16 de abril, tem por objetivo alinhar a estratégia global da companhia na área de treinamento. “Um dos diferenciais do programa é a valorização da competência local, por meio da parceria com a Fundação Feitoza”, ressalta Suzana Blum, consultora de treinamento da Siemens e coordenadora do projeto. Com a criação do centro, os 600 funcionários da unidade terão acesso aos mesmos treinamentos das demais unidades da empresa, com uma inovação: a possibilidade de avaliação e acompanhamento da aplicabilidade do aprendizado no dia-a-dia.
O centro de competência está capacitado para ministrar treinamentos e fazer acompanhamento, para verificação da eficácia do mesmo, característica inédita, que poderá servir de referência para outras unidades, que não dispõem ainda desta ferramenta. “Os recursos humanos são um patrimônio imensurável para o sucesso de uma empresa. Capacitá-los e orientar no seu desenvolvimento profissional é um investimento importante, no qual a Siemens está sempre em processo de inovação”, afirma Suzana.
A necessidade de qualificar os profissionais é identificada por meio de uma ferramenta de análise de desempenho denominada Diálogo de Desenvolvimento em que colaboradores e gestores avaliam, anualmente, o desempenho do funcionário e as necessidades de desenvolvimento para sua carreira. A partir desta avaliação são identificados os treinamentos que podem contribuir para desenvolvimento do funcionário.
A Siemens, parceira da Fundação Desembargador Paulo Feitoza em muitos projetos, conta dessa vez com o apoio da Fundação para coordenar o programa. A Feitoza será responsável pelas duas etapas, a primeira de ministrar as aulas e a segunda de acompanhar os colaboradores e verificar a aplicação no dia-a-dia. “O acompanhamento posterior as aulas é um desafio inédito para a Siemens Brasil. Nós vamos usar essa ferramenta como termômetro, por meio dela poderemos identificar se os cursos estão sendo válidos para os funcionários e para seus gestores” afirma a coordenadora do projeto.