Siemens registra crescimento

0
19

Pelo terceiro ano consecutivo a subsidiária brasileira da Siemens apresentou crescimento maior do que os mercados em que atua. Segundo a empresa, a orientação para o aumento das exportações e para uma política interna de crescimento sustentável foram os principais fatores de sucesso. Todos os indicadores de desempenho no exercício fiscal, referente ao período de 1º de outubro de 2003 a 30 de setembro de 2004, registraram crescimento. As exportações aumentaram em 150% e o faturamento líquido de R$ 5,9 bilhões foi 27% superior ao do ano passado. A entrada de pedidos apresentou crescimento de 45%, totalizando R$ 6,1 bilhões.

Lucro líquido, investimentos em infra-estrutura e em P&D, além de ampliação de quadro de pessoal, também ratificam o excelente desempenho do grupo no Brasil. O investimento na área social (arte e cultura/ doações) foi de R$ 3,9 milhões, o equivalente a 2% do lucro líquido.

Em 2005, o grupo Siemens completará 100 de atuação no país. Hoje, o grupo conta com 12 fábricas e quatro Centros de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no país. “Sem dúvida, o alto valor agregado local é um dos fatores do nosso sucesso sustentado, mesmo em períodos de estagnação”, diz Adilson Primo, presidente do Grupo no Brasil. Para isto, além de investir em novas produções e em capacitação de pessoal, a Siemens também tem feito aquisições como, por exemplo, em 2004, a Iriel Indústria de Sistemas Elétricos e da divisão de chaves seccionadoras de alta-tensão da Lorezentti. A subsidiária brasileira se tornou também um importante pólo de desenvolvimento de novos produtos. O volume aplicado no Brasil em P&D (R$ 108,3 milhões em 2004) representou crescimento de 36%, em comparação ao exercício fiscal passado.

Exportação em alta – Em 2004 as exportações alcançaram a marca de R$ 620,5 milhões, 150% superior ao último ano fiscal. A definição da fábrica Curitiba como centro mundial para exportações de plataformas de comunicação (modelos de PABX com tecnologia de convergência de voz e dados), bem como a transformação da unidade Manaus em pólo exportador de celulares, foram grandes conquistas.