TBA de olho na Bovespa

0
4
Adquirir empresas complementares em seis meses, visando o crescimento não orgânico de receitas e aumento do portfólio de serviços para abrir o capital em 12 a 18 meses, em busca de robustez. Essas são as metas definidas ao executivo Carlos Magno, novo diretor de RI (Relações com Investidores) do Grupo TBA para a integradora B2Br e a empresa de segurança True Access Consulting. O executivo desligou-se da posição de executivo na True Access Consulting para dedicar-se ao desafio de conduzir o primeiro IPO (Initial Public Offering) do Grupo TBA.
“Analisamos nossas empresas e acreditamos que a B2Br – que no último ano fiscal dobrou sua equipe, chegando a 700 funcionários, e atingiu US$ 100 milhões de faturamento no segundo ano de operação – tem o perfil típico para operar com ações no Novo Mercado, da Bovespa”, adianta Carlos Magno. Outra questão determinante é o próprio desempenho da Bolsa de Valores de São Paulo, que vem aumentando o volume de empresas listadas de forma consistente.
Entre os primeiros passos estão a contratação de consultores que vão suportar a B2Br nesse caminho e adoção de regras de governança corporativa e transparência de acordo com as normativas da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). “Já contratamos a Delloite para nos auxiliar na estruturação organizacional de nossas empresas que serão ofertadas inicialmente Bovespa e estamos em busca de um escritório de advocacia para elaboração dos documentos necessários”, informa Magno. “Nosso objetivo é captar recursos para expandir o negócio de forma agressiva, nos posicionando como agente ativo no processo de consolidação que já começou a ocorrer no mercado de prestação de serviços de tecnologia da informação”.