Tecnologia contra fraudes

0
14

A Secretaria da Receita Federal (SRF), por meio da Coordenação de Tecnologia e Segurança da Informação (COTEC), órgão de gestão de TI, implantou a plataforma de business intelligence (BI) da MicroStrategy, uma solução eficaz para suportar com segurança grandes volumes de dados. O objetivo desta ferrementa , que foi consolidada em um único datawarehouse, é auxiliar nas identificação de irregularidades e fraudes. O amplo projeto, cuja supervisão é responsabilidade da também da SERPRO, envolve um banco de dados de três terabytes e mais de 600 milhões de registros. Hoje, cerca de mil usuários já estão cadastrados no sistema e a expectativa é que este número cresça para dois mil até o fim de 2004.
O sistema de BI da Receita Federal baseado em tecnologia MicroStrategy cobre vários níveis hierárquicos: secretários, superintendentes e, abaixo de cada um destes, mais de 150 delegacias e inspetorias. Já foram formatados mais de 300 relatórios padrão, além de inúmeros relatórios personalizados pelos próprios usuários, alguns com tabelas contendo mais de 4 mil métricas.
Iniciado em 2002 e progressivamente expandido, o projeto já resultou em uma forte economia de custos com a centralização de dados em um único datawarehouse corporativo, o que eliminou as apurações realizadas nos antigos sistemas operacionais e possibilitou a descontinuidade de diversas outras aplicações desenvolvidas com o mesmo objetivo. Além disso, com a escolha de uma solução tecnológica baseada na Web, foi também possível a redução de custos de implementação e de treinamento. As consultas são realizadas de forma transparente e flexível – independentemente da plataforma usada – pelo próprio usuário final da Receita Federal, sem a necessidade do apoio de profissionais especializados, possibilitando a extração de dados e geração de relatórios com muito mais agilidade.
Algumas características da plataforma de business intelligence da MicroStrategy, como o suporte às diferentes linguagens, a facilidade de navegação via web, interface gráfica padrão, possibilidade de infinitas combinações de consultas, controle de acesso conforme política de segurança da SRF, atualização periódica dos dados e apoio na tomada de decisão, foram decisivas para a ampla utilização por parte da Secretaria da Receita Federal.
Para o melhor aproveitamento das informações, o datawarehouse da Receita Federal foi dividido por assuntos estratégicos da organização, que por sua vez, estão subdivididos. Os dados estão dispostos em visões: Aduaneira (Importação e Exportação e Zona Franca de Manaus), Auditoria (Auditoria e Correição), Arrecadação (Previsão e Análise da Arrecadação e Acompanhamento dos Maiores Contribuintes), Fiscalização (Revisão Parametrizada e Sistemas de Informações Geradoras de Ação Fiscal) e Administração (Indicadores Estratégicos e Indicadores de Gestão). A visão *Auditoria e Controle de Sistemas – Arco* responde pelo controle do uso dos sistemas eletrônicos da SRF, fornecendo aos responsáveis indícios de irregularidades. Seu principal objetivo é captar dos sistemas da SRF, considerados de alto risco, as identificações de acesso efetuadas pelos usuários e comparar com as ações dos contribuintes, agrupando em eventos simples ou combinados, que indicam a possibilidade de ocorrência de fraudes.
A visão Aduaneira permite ao funcionário da Receita Federal selecionar, de maneira impessoal, os intervenientes aduaneiros a fiscalizar, identificando possíveis irregularidades, além de fornecer subsídios à Coordenação Aduaneira – Coana, para elaboração dos planos e diretrizes de ação.
A visão Arrecadação tem os objetivos voltados a permitir aos usuários o acompanhamento da arrecadação dos tributos federais administrados pela SRF, fornecer recursos para elaboração da Previsão Orçamentária e para a análise dos maiores contribuintes. Além disso, com esta visão possibilita o acompanhamento sistemático de pessoas jurídicas que respondem por, no mínimo, 70% da arrecadação, com a elaboração periódica de relatórios detalhados sobre os resultados.
Já a visão Fiscalização – Siga (Sistema de Informações Geradoras de Ação Fiscal) permite ao usuário selecionar, de maneira impessoal, os contribuintes a fiscalizar. O sistema também permite através da estrutura de dados pré-definidos, a realização de estudos estabelecendo padrões para planos de trabalho anuais do Sistema de Fiscalização e a identificação de possíveis irregularidades. Os contribuintes são separados para facilitar a seleção: Pessoa Física, Pessoa Jurídica e
Propriedade Rural.
Por fim, a visão Administração, que oferece indicadores estratégicos suprindo a Secretaria da Receita Federal com informações úteis, agregadas e atualizadas para o suporte às tomadas de decisões administrativas. A solução fornece aos administradores da SRF relatórios gerenciais, com informações agregadas, provenientes dos diversos sistemas da SRF e também com indicadores sócio-econômicos provenientes de fontes externas, como por exemplo, o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.