TI apóia negócios do Grupo Pão de Açúcar

0
4



Com cerca de 63 mil funcionários e 546 lojas distribuídas pelo Brasil, o Grupo Pão de Açúcar é um grande consumidor de TI, especialmente pelo nível de serviço que se propôs a prestar. Sua missão é garantir a melhor experiência de compra aos clientes. Manter essa promessa requer muita tecnologia, processamento e melhor performance. Porém, o grupo não promove novos investimentos em TI sem antes aproveitar ao máximo os recursos de software e hardware existentes. Essa premissa fez com que a companhia encontrasse soluções novas para velhos problemas.


A necessidade de alta disponibilidade impulsionada pelas contingências do negócio, como as lojas que funcionam 24 horas, levaram o Pão de Açúcar a manter os sistemas críticos como logística, comercial, apuração, informações-mestre, cadastro, etc, na plataforma mainframe, em base de dados Natural Adabas. A grande disponibilidade da plataforma, entretanto, não foi suficiente para suportar o crescimento vegetativo do negócio – aliado às aquisições – e levou o sistema a um limite que passou a demandar upgrades de máquina cada vez mais freqüentes.


Essa realidade tornou-se um desafio para os profissionais de TI do Pão de Açúcar. “Investir em mais hardware a cada sinal de problema de performance era a saída mais óbvia, mas pouco inteligente. Decidimos, então, resolver o problema por meio das melhores práticas e de ajustes finos em nossos sistemas”, destaca Júlio Baião, gerente de tecnologia e segurança da informação do Grupo Pão de Açúcar. O Grupo Pão de Açúcar não só optou pela contratação de serviços de melhoria de performance, mas decidiu pela criação de uma área que prestasse esses serviços de forma contínua.


Terceirização e integração – A companhia também resolveu que o melhor caminho seria terceirizar o serviço da nova área com especialistas em Natural Adabas e escolheu a 3CON Consultoria. A empresa atua desde o desenvolvimento até a produção, garantindo que cada sistema que roda na TI do grupo seja compliance com as regras de programação. “A 3CON monitora constantemente as rotinas, queries e performance e faz os ajustes necessários, como parametrização de produtos, reorganização física de tabelas/arquivos, distribuição de discos, reinstalação de produtos e customização de ambiente operacional”, detalha Baião.


“Mas não é só. O maior trabalho realizado pela 3CON foi a nova forma de processar nossas rotinas”, afirma o gerente. Ele explica que a 3CON sugeriu lógicas inteligentes de processar o dia-a-dia do grupo contribuindo para um melhor aproveitamento dos recursos de software e hardware. Foi nesse momento, que os especialistas da 3CON passaram a interagir com os analistas de negócios do Pão de Açúcar e a área de performance passou a ser notada. “Na verdade, a integração era essencial já que cada mudança de rotina de processamento exigia a homologação das áreas de negócios”, explica Baião.


O gerente lembra que a operação de varejo funciona e dá lucro à medida que cada elo da engrenagem funcione com perfeição. “O nosso negócio é muito sensível. Qualquer variação, por pequena que seja, acaba impactando toda a operação. Se por qualquer razão, não conseguir processar as vendas do dia, todas as lojas sofrerão com isso. Essa é uma razão mais que suficiente para mantermos um trabalho perene e preventivo de melhoria de performance. Estamos no caminho certo e preparados para as novas mudanças e melhorias em nossa TI, como a implantação de pacotes especialistas e a conclusão da implementação do SAP no grupo”, conclui.