Trade marketing para não perder a venda

0
8
Se ter a oportunidade de criar ações de marketing que tenham um bom custo-benefício é algo procurado pelas empresas, agora, com a crise, essa é uma opção que se faz mais que necessária. Uma alternativa que se encaixa nesse perfil são as estratégias de trade marketing. De acordo com Bruna Fanucchi, diretora de marketing promocional da Task Trade, “investir no trade marketing é não dar margem para reduzir ainda mais as vendas”. Isso porque o produto estará em destaque, permitindo maior atenção por parte do público, que também enfrenta dificuldades nessa fase e diminuiu a quantidade de visitas aos pontos de venda.
Dessa maneira, investir em uma estratégia no estabelecimento físico é fazer com que a empresa aproveite todas as oportunidades,ainda que estejam menores. Pois, ao expor o produto de uma forma mais atraente e se colocar à frente do concorrente, aumentará as chances de aproximação do consumidor, bem como de uma fidelização. Ainda mais neste momento, em que as marcas no ambiente offline têm de lidar com o crescimento cada vez mais rápido do e-commerce. Nesse sentido, Bruna avalia como primordial as ações de trade marketing, evitando que as lojas físicas fiquem mais vazias e se tornem atrativas. Segundo ela, há muitos caminhos para atrair o cliente e as promoções são as mais válidas, de preço, com brindes, desde que sejam úteis, e compre e ganhe. “Ou um benefício a mais além da qualidade do produto.”
Já para que se torne uma ação também bem resolvida para o público, a executiva aconselha que as ações sejam perenes, para se mantiverem na lembrança do consumidor a cada visita que esse fizer no ponto de venda. Assim, ele ficará fiel tanto à marca, quanto ao produto adquirido. Um exemplo citado por ela foi uma ação que a Task Trade criou, em parceria com a Arcor, no lançamento do biscoito recheado Tortuguita. “Na compra de dois tabletes de chocolate Tortuguita, mais dois biscoitos recheados da marca, o cliente ganhava um caderno personalizado.”