Uso de apps de mensageria avança

0
3
A pesquisa Panorama de Mensageria no Brasil, realizada pelo Mobile Time e pela Opinion Box e patrocinada pela Infobip, aponta crescimento de aplicativos de mensageria no País. Os que mais registraram crescimento no período de um ano foram o Facebook Messenger (de 73% para 79%) e o Telegram (de 14% para 19%). O WhatsApp, app favorito dos brasileiros nesse quesito, cresceu 1%, de 97% para 98%. Por sua vez, o Instagram, estreante na pesquisa, está instalado em 72% dos smartphones brasileiros. “O Panorama demonstra que o brasileiro, ante a média mundial, é um indivíduo hiperativo nas redes sociais e nos aplicativos de mensageria. Isso significa que, embora tenhamos uma preferência clara por um aplicativo, permanecemos abertos a outros canais”, comenta Marcelo Ramos, regional manager South Latam da Infobip.
Dos aplicativos mencionados no estudo, que ouviu 2.102 brasileiros, o WhatsApp é o utilizado com maior frequência: 92% dos usuários acessam o app todos os dias. Em seguida, vem o Instagram, acessado por 66% dos brasileiros todos os dias. De maneira geral, todos os aplicativos de mensageria são utilizados principalmente para troca de mensagens de texto, imagens e áudios. O crescimento do Facebook Messenger é outro destaque da pesquisa. Se estava em queda no ano passado, o aplicativo conseguiu reverter a situação por meio do uso de Stories, avalia Ramos. “O Facebook tem estimulado bastante esse recurso, principalmente no celular. Com mais engajamento e diversidade de conteúdos, a fidelidade do usuário brasileiro aumentou.”
O WhatsApp, por sua vez, já é visto como um potencial meio de pagamento: 56% dos usuários de WhatsApp gostariam de realizar pagamentos e transferências por meio do aplicativo. O interesse é maior entre os homens (62%) e os mais jovens (entre 16 e 29 anos). Destes, 47% querem uma conta bancária dentro do WhatsApp, 30% preferem associar o app a uma conta bancária própria, e 23%, a um cartão de crédito.
BAIXA REJEIÇÃO ÀS MARCAS
Outra característica do usuário brasileiro mencionada no estudo foi a baixa rejeição às marcas nas plataformas de mensageria. O Facebook Messenger tem o índice mais alto nesse quesito – 13%. Por outro lado, a rejeição no Telegram e no Instagram é praticamente inexistente. Embora só tenha aberto a API recentemente para contas corporativas, o WhatsApp já é reconhecido como um canal de contato com os clientes: 76% dos usuários já consideram que o app é um canal apropriado para tirar dúvidas com marcas, e 60% para obter suporte.
Nesse cenário, o WhatsApp já ameaça o SMS. 83% dos entrevistados consideram que o app é adequado para o envio de avisos relevantes para o consumidor, ante 17% do SMS. “Essa migração do SMS A2P para o WhatsApp só não ocorreu ainda porque o modelo de negócios over the top do aplicativo cobra dez vezes mais por mensagem do que o valor praticado pelas operadoras para o SMS”, analisa Ramos. Segundo o Panorama, 51% dos brasileiros nunca ou quase nunca enviam mensagens de texto, e 20% nunca recebem SMS.
Uma alternativa para as operadoras seria a implementação do RCS. “Essa tendência deveria ser um alerta para que as operadoras acelerem seus projetos de implantação do RCS para preservar a receita do SMS A2P e assim trazer os usuários de volta para um canal de mensageria gerenciado por elas”, recomenda Ramos.